ÁGATA

Operação militar dá outro perfil à segurança interna

Operação militar dá outro perfil à segurança interna
19/08/2012 00:00 - MICHELLE ROSSI


Desde o lançamento do Plano Estratégico de Fronteira, pelo Governo federal, em 2011, a Operação Ágata vem dando um novo perfil à segurança pública, ao mesmo tempo em que permite maior visibilidade às Forças Armadas, com um papel mais efetivo na segurança interna.

Agora, em sua quinta edição, a movimentação militar está acontecendo numa extensão de 3,9 mil quilômetros de fronteiras, de Corumbá, no Mato Grosso do Sul, ao Chuí, no Rio Grande do Sul, área que nesses dias está sob proteção direta das Forças Armadas

Com quase 15 dias de mobilização, a Operação Ágata V vem fazendo bloqueio na linha internacional que avança até 150 quilômetros para o interior do País, empregando milhares de civis e militares, coordenados pelo Ministério da Defesa. A área crítica de patrulhamento está as cidades de Foz do Iguaçu (PR) e Corumbá, onde ocorre a maior incidência de tráfico de drogas e contrabando.

Leia mais no jornal Correio do Estado

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".