Campo Grande - MS, terça, 21 de agosto de 2018

Capital

Operação fiscaliza uso do cerol em bairros

24 MAR 2011Por da redação07h:10

A Operação Corta Cerol realizada pela Delegacia de Especializada de Atendimento à Infância e Juventude (Deaji) continua com a intensa fiscalização nos bairros da Capital. Nos três últimos meses já houve dois casos de lesão corporal em vítimas por conta do uso inadequado do cerol na pipa.

De acordo com a delegada titular da Deaij Maria de Lourdes Souza Cano , a Operação Cerol desta semana já está programada. A fiscalização acontece toda semana nos bairros da Capital e tem o objetivo de alertar os pais contra o uso do cerol. “Continuamos fazendo um apanhado de repreensão e prevenção em toda a cidade, orientando pais e filhos quanto à conscientização de que é perigoso usar a linha com cerol”, afirma.

A Operação Corta Cerol iniciou as fiscalizações em 2009 registrando número elevado de ocorrências que resultou em homicídios e lesões corporais pelo uso inadequado do Cerol. Após a fiscalização constante nos bairros, em 2010 houve uma queda nos casos de lesão corporal e não foram registrados de homicídio. Desde o início do ano foram registrados dois casos de lesão corporal no início de fevereiro que aconteceram em diferentes bairros na Capital.

A orientação da delegada é para que as pessoas fiquem atentas, principalmente as maiores vítimas desse crime, os ciclistas e motociclistas. Segundo Maria de Lourdes, o mês de julho e agosto são os que registram mais acidentes. “O primeiro por ser, justamente, o período das férias escolares e o segundo, por ser um mês de ventania - o que instiga mais a competição dos praticantes”, lamenta a delegada.

A Delegacia de Atendimento à Infância e Juventude (Deaij) continuará com a fiscalização nos bairros de Campo Grande. Segundo a delegada - titular, a “Operação Corta Cerol 2” será iniciada no meio do ano. A fiscalização tem o objetivo de prevenir e coibir o uso da mistura de cola e vidro

Medidas

Além da orientação da Delegacia de que o uso do cerol é um instrumento perigoso, se o menor é flagrado utilizando o cerol ele será conduzido à delegacia acompanhado de um responsável legal. Conforme o Estatuto da Criança e Adolescente (ECA) o crime não é passivel de prisão, porém o responsável poderá ser processado e se condenado poderá pagar a multa que corresponde de três a 20 salários mínimos. Caso haja reincidência, a multa será aplicada em dobro.

O maior de idade que for flagrado utilizando o cerol também será encaminhado à delegacia juntamente com o material apreendido. O acusado responderá inquérito e, se condenado, poderá pegar penas que variam de três meses a um ano de detenção. Conforme previsto em lei, mesmo que a pessoa esteja utilizando o cerol sozinha e não tenha causado nenhum acidente, ela será indiciada e responderá processo por colocar em risco à vida da população.

Leia Também