quinta, 19 de julho de 2018

VORACIDADE

Operação desmontou esquema de desvio de dinheiro depois de 2 anos

12 NOV 2010Por Fernanda Brigatti00h:02

A Operação Owari foi desencadeada pela Polícia Federal em Dourados no dia 7 de julho de 2009, depois de dois anos de investigações. Na ocasião, 42 pessoas, entre empresários, servidores públicos, secretários municipais e vereadores foram presos acusados de fraude em licitações, formação de quadrilha, corrupção de servidores, agiotagem e sonegação fiscal. Todos foram soltos dias depois.

O prefeito afastado Ari Artuzi (sem partido) foi denunciado em março deste ano, pelo então Procurador-Geral de Justiça, Miguel Vieira da Silva, por suposto envolvimento com a quadrilha desmantelada pela operação. As fraudes eram executadas, segundo a investigação, para fechar contratos com a prefeitura, para exploração de serviços em áreas como saúde e serviços funerários.

Artuzi está afastado do cargo desde o dia 17 de setembro deste ano, por determinação do desembargador Claudionor Miguel Abss Duarte. Em sua decisão, ele afirma que o prefeito tentou interferir na produção de provas.

O prefeito está preso desde 1º de setembro em Campo Grande por conta de outra operação da PF. Atualmente no Presídio Federal, Artuzi está preso por determinação do TJ, em função da Operação Uragano, que desmontou outro esquema de desvio através do pagamento de propina e licitações fraudulentas.

Leia Também