domingo, 22 de julho de 2018

PORTO MURTINHO

Oito meses depois, obra do dique será retomada

24 JAN 2011Por ICO VICTÓRIO00h:01

Oito meses após a paralisação, a empreiteira Gerpav está de volta a Porto Murtinho, a 462 quilômetros da Capital, para refazer parte da obra de contenção de enchentes, comprometida por falhas de cálculo estrutural, que acabou determinando desmoronamentos de pilares e placas de concreto de 3,2 toneladas no Rio Paraguai. Por esses erros, o projeto, antes orçado em R$ 8 milhões já está em R$ 11,5 milhões.

A obra teve início em setembro de 2008 e de lá até sua paralisação consumiu aproxidamente R$ 7,6 milhões, do total de R$ 8 milhões liberados pelo Ministério da Integração Nacional que empregou R$ 5,5 milhões, mais a contrapartida de R$ 2,5 milhões do Estado.

Segundo garantias da Secretaria de Obras, a Gerpav vai arcar com parte dos prejuízos ocorridos no projeto.

Substituição de pilares, instalação de rede de drenagem, reforço dos tirantes (cabos de aço) na base de sustentação das placas, construção de novas estacas de concreto e envelopamento de cabos de aço, são as principais intervenções determinadas pela Geoprojetos Engenharia Ltda, empresa de consultoria contratada ao custo de R$ 3,5 milhões pelo Estado em seu diagnóstico técnico para corrigir erros estruturais na obra do dique.

Etapas

O secretário de Obras do Estado, Wilson Cabral, explicou que a primeira intervenção é a retirada de parte do aterro para aliviar a pressão sobre pilares e placas de concreto. "Esta ação preliminar deverá estabilizar o conjunto de barreira de concreto montado ao longo do porto da cidade. Mais além, dará a segurança necessária para executarmos as alterações previstas no dianóstico da Geoprojetos".

Segundo o governador André Puccinelli, parte dos prejuízos resultantes dos erros na obra serão arcados pela Gerpav. "Nós não vamos assumir essa despesa sozinhos, não. Os responsáveis vão ter que pagar por esta situação. A obra já devia estar pronta. Infelizmente tivemos problemas estruturais, que já estamos corrigindo".

Leia Também