quinta, 19 de julho de 2018

BOLETINS

Ocorrências em delegacia virtual aumentam 33%

5 JAN 2011Por DA REDAÇÃO00h:03

A Delegacia Virtual, instalada há quatro anos, tem recebido crescente número de registros via internet. Em 2010 foram registradas 17.751 ocorrências, 33% a mais que em 2009. Do total, 1.141 foram de furto simples, 16.589 por extravio e 21 desaparecimentos. Os casos recebidos são encaminhados para as delegacias especializadas em Campo Grande e municípios do interior, conforme localidade originária.

Os boletins de ocorrência podem ser feitos pelo endereço eletrônico da Polícia Civil (www.pc.ms.gov.br). Podem ser registrados furtos simples, de objetos de pequeno valor, extravio de documentos e desaparecimento de pessoas. De acordo com o supervisor da Delegacia virtual, Adilson Costa, quase 100% dos casos de desaparecidos é resolvido.

O investigador ressalta que “além dos boletins, o site dá possibilidade ao cidadão exercer sua cidadania fazendo denúncias”. Costa cita os casos sobre violência contra idoso, mulher, criança, indicação de ponto de venda de entorpecentes - “bocas de fumo” - crimes ambientais e de perturbação da tranquilidade como informações passíveis de denúncias.

As denúncias pela internet podem ser anônimas ou identificadas. Contudo, o supervisor lembra que “denunciação caluniosa é crime contra administração pública”, previsto no Código Penal, com pena de seis meses a dois anos de reclusão.

Na Delegacia de Pronto Atendimento à Comunidade (Depac) - localizada na rua Padre João Crippa, 1581 - estão disponíveis, desde outubro de 2010, três terminais de autoatendimento, em que as pessoas podem acessar a Delegacia Virtual e realizar o boletim de ocorrência online, se preferirem. O serviço contribuiu para diminuição das filas e do tempo de espera. Mas o atendimento presencial continua a ser oferecido para os casos que envolvem crimes graves.

O autoatendimento dentro de delegacia foi uma iniciativa inédita em todo o País. Os terminais foram implantados após a reforma e ampliação da Depac. Segundo Adilson Costa, a instalação de terminais deve ser expandida para outras delegacias do Estado.

Leia Também