Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

OCDE diz que no Brasil taxa de desemprego é maior entre os que têm segundo grau

8 SET 10 - 02h:00
     A taxa de desemprego entre as pessoas que concluíram o segundo grau no Brasil é maior do que entre aquelas que não terminaram essa etapa na sua formação, diz um estudo da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento (OCDE). No estudo divulgado hoje (7) a organização informa que o dado vai na contramão da tendência verificada nos países ricos - onde o maior nível de formação educacional garante maiores chances de encontrar um trabalho.
                
                As informações são da BBC Brasil. O índice de desemprego entre os que não concluíram o segundo grau no Brasil é de 4,7% da população ativa, enquanto a taxa dos que terminaram o curso é de 6,1%. Uma das razões deste paradoxo no Brasil, segundo especialistas, é a alta taxa de desemprego entre mulheres que concluíram o segundo grau.
                
                A taxa de desemprego entre mulheres com segundo grau completo é de 8,5%, superior ao mesmo índice de mulheres nos países da OCDE, que é em média de 5%. O economista Etienne Albiser, da divisão de indicadores e análises sobre educação da OCDE, que participou dos estudos do relatório Olhares sobre a Educação 2010, disse que foram analisados 38 países, sendo que 31 são membros da organização e sete parceiros em estudos sobre educação.
                 
                "Outro fator é a estrutura da economia brasileira, que teria mais necessidade de uma mão de obra menos qualificada, embora não existam estatísticas a respeito", disse o economista. Segundo a OCDE, pelo menos dois terços das pessoas entre 25 e 64 anos no Brasil não têm estudo secundário.
                
                Países como Chile, Grécia, Luxemburgo e México, que são membros da organização, registram situação semelhante à do Brasil. Nesses países, a taxa de desemprego entre as pessoas que não concluíram o segundo grau também é menor do que a registrada entre as que obtiveram o diploma.
                
                "Nos países da OCDE, o diploma de conclusão do segundo grau é considerado como a bagagem mínima para ser competitivo no mercado de trabalho. A taxa de desemprego das pessoas com esse diploma é menor, em média, de cerca de quatro pontos percentuais em relação ao que não atingiram esse nível de formação", afirma o estudo.
                
                O documento também revela que as despesas do governo brasileiro com alunos do ensino primário e secundário quase dobraram entre 1995 e 2007. Em 2007, último dado disponível, os gastos por aluno dos ciclos primário e secundário no Brasil atingiram US$ 1,8 mil. Nos países da OCDE, a média é de US$ 7,6 mil.
                
                "Os gastos do Brasil com o ensino primário e secundário era um dos mais baixos entre os países analisados. Houve o aumento da população, mas também havia a necessidade de recuperar o atraso em relação aos demais países", diz Albiser.
                
                Os gastos com educação no Brasil passaram de 3,7% no período 1994-2000 a 5,2% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2007. Entre os países analisados no relatório, apenas Brasil, Chile, Dinamarca e Estados Unidos registraram um aumento dos gastos com educação superior a 0,8 ponto percentual do PIB nesse período. O Orçamento brasileiro passou a destinar para a educação de 11,2% em 1995 a 16,1% em 2007, afirma o estudo.
                
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Suspeito de tentativa de assalto <br>é morto durante troca de tiros
ANHANDUÍ

Suspeito de tentativa de assalto
é morto durante troca de tiros

Empresa leva a leilão maquinário, veículos, mobiliário e sucatas
LEILÃO ONLINE

Veículos e maquinário de empresa serão leiloados

Times de MS são maioria na elite do Campeonato Brasileiro de futebol PC
EM SÃO PAULO

Times de MS são maioria na elite do Campeonato Brasileiro de futebol PC

INTERNACIONAL

Ao menos 23 detentos morrem em rebelião em presídio na Venezuela

Mais Lidas