Sábado, 24 de Fevereiro de 2018

BURITI-LAGOA

Obras devem ser concluídas neste semestre

27 JAN 2011Por DA REDAÇÃO00h:00

As obras de urbanização do Projeto Buriti - Lagoa vão ter ritmo acelerado já neste mês. O governo do Estado trabalha para garantir a conclusão do parque linear ainda no primeiro semestre de 2011. O empreendimento está inserido no Projeto de Urbanização do Fundo Vale do Córrego Lagoa, que recebe recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC/ Lagoa) e do governo estadual, além de contrapartida municipal.

As frentes de serviço vão ser ampliadas na execução da moderna avenida de 4,6 quilômetros interligando a avenida Duque de Caxias (Via Morena) à rua Antônio Bandeira. De acordo com a Secretaria de Obras Públicas e Transportes (Seop), cerca de cinco novas equipes reforçarão o contingente que atua na concretização das obras.

Além do incremento de homens e máquinas, a resolução de pendências sobre as últimas desapropriações é outro fator que vai dar agilidade ao empreendimento. As poucas residências que ainda tinham demandas já estão resolvidas. Também já foi liberada pelo comando da Base Aérea de Campo Grande a área pertencente à instituição militar que vai ser usada na abertura do trecho da avenida nova que se encontra com a avenida Duque de Caxias.

Com as intervenções, a região urbana do Córrego Lagoa vai ganhar mais um parque linear com vias pavimentadas e iluminadas, ciclovias e preservação do meio ambiente. A extinção de favelas e o saneamento integrado são destaques da iniciativa.

O governo do Estado iniciou a construção do Parque Linear do Buriti Lagoa no fim de 2009. Hoje, os bairros Buriti, Belo Horizonte, Taveirópolis, Oliveira e União já têm aspecto totalmente diferente, emoldurados pela nova construção. De acordo com o projeto, a obra começa na avenida Duque de Caxias, nas proximidades da Base Aérea e chega até a rua Antônio Bandeira, no bairro Buriti, com 4,6 quilômetros de extensão, e contando com investimento de cerca de R$ 16,550 milhões.

No trajeto estão sendo implantadas duas vias pavimentadas com mais de 12 metros de largura cada, além de ciclovia para a segurança dos ciclistas. Ao longo de toda a margem, foi tomado o cuidado de preservação das árvores nativas. Pelo projeto executivo, o governo do Estado também vai construir ao longo do trajeto três travessias (pontes) sobre o córrego Lagoa, cada uma com cerca de cinco metros de largura e 40 metros de comprimento.

Quando a obra do parque linear do Buriti ficar pronta vai dar agilidade no fluxo de veículos de toda aquela região, e criar acesso a outros pontos de Campo Grande. Moradores das regiões urbanas do Anhanduizinho, Lagoa e Imbirussu que precisam se deslocar para o Centro da cidade e bairros vizinhos terão uma via mais ágil.

Habitação

Além do complexo viário, o Projeto Buriti – Lagoa contempla intervenções de melhoria habitacional, com desfavelização e regularização fundiária. Em 2009, o governador André Puccinelli entregou o residencial Aquarius, no bairro Santa Emília, com 102 unidades habitacionais, para reassentar famílias que estavam morando em situação de risco. No Portal Caiobá II, foram mais cem famílias beneficiadas. Dados da Secretaria de Habitação e das Cidades (Sehac) apontam que mais de 400 famílias foram assistidas com regularização fundiária e o total de unidades habitacionais construídas superou 350.

Todas as ações do PAC/Lagoa visam garantir e promover melhores condições de saúde e qualidade de vida proporcionando mais dignidade às pessoas que habitam na área de abrangência do Fundo do Vale do Córrego Lagoa. A área de intervenção desse projeto envolve diretamente mais de 1.040 famílias.


 

Leia Também