Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

UNIVERSIDADE

Obras de ampliação desmoronam e dois são soterrados na Capital

22 MAR 11 - 17h:55vivianne nunes e evelin araujo

Cerca de 25 bombeiros se empenharam no resgate de dois operários soterrados na manhã de hoje durante obras de construção de uma piscina em uma universidade de Campo Grande, que fica na Rua Abrão Júlio Rahe. O socorro chegou rápido devido a proximidade de uma unidade dos Bombeiros.  Leonardo Barros, de 37 anos, ficou com lama até a altura da cintura e foi o primeiro a ser retirado. Com uma das pernas fraturada ele foi levado até o Posto de Saúde do bairro Coronel Antonino às 9h50min.

 A segunda vítima é Marcelo Constantino, de 24 anos. Ele foi totalmente soterrado e chegou a ficar dez minutos encoberto pelo barro.

Uma testemunha diz que os colegas tentavam encontrar o local onde estava e chegaram a pisar sobre ele, “foi quando ele conseguiu gritar”, afirmou Lionan Ferreira, de 31 anos, que acompanhou toda a cena. Leonardo teve a lama retirada do rosto por colegas de trabalho. O resgate demorou um pouco mais e a vítima foi retirada às 10h20min.

A obra está em andamento há dois meses e a parede do barranco que desmoronou tem 3,6 metros de altura.

Ainda no local onde o barranco desmoronou sobre os operários, uma terceira pessoa sentiu-se mal e foi socorrida por equipes dos bombeiros que faziam o atendimento. Os militares disseram que os trabalhadores tinham pouco equipamento de segurança e podem ter errado por não escorar o barranco com materiais apropriados.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Universidade ajuda contribuintes na declaração do IR
ECONOMIA

Universidade ajuda na declaração do IR 2019

Pai é condenado a 5 anos de prisão por matar filho a pauladas
RECURSO

Pai é condenado a 5 anos por matar filho a pauladas

Prefeitura gasta em média <br>R$ 3 milhões com tapa-buraco
CAMPO GRANDE

Prefeitura gasta em média
R$ 3 milhões com tapa-buraco

Temer recusa jantar, tem 1º noite preso e agora tenta evitar depoimento à PF
BRASIL

Temer recusa jantar em primeira noite preso

Mais Lidas