Campo Grande - MS, quinta, 16 de agosto de 2018

INTEGRAÇÃO

Obama deverá falar no Brasil sobre paz como base para diálogo internacional

12 MAR 2011Por AGÊNCIA BRASIL10h:35

Na visita ao Brasil nos próximos dias 19 e 20, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, está determinado a discursar para o público, a exemplo do que fez em 2008, em Berlim, e depois em 2009, no Cairo. Tanto na Alemanha quanto no Egito, Obama defendeu a paz como base para o diálogo internacional. A tendência, de acordo com organizadores da viagem, é que o tema seja o mesmo. Porém, no Brasil o local para o discurso ainda não foi escolhido.

Um grupo de assessores defende que Obama fale para um público mais restrito em Brasília e que o discurso seja direcionado a empresários. Há também um grupo favorável a um público mais amplo, com o discurso aberto para a sociedade em geral. Nesse caso, o Rio de Janeiro será o palco, com direito a telão para tradução simultânea. As opções, no Rio, vão desde o Maracanãzinho até Copacabana e a Cinelândia. Uma equipe de norte-americanos desembarca amanhã (12) no Rio para decidir.

No entanto, Obama já manifestou interesse em uma agenda livre no Rio de Janeiro no domingo, dia 20. De manhã e à noite, o presidente, a primeira-dama Michelle Obama, e as filhas Malia, de 11 anos, e Sasha, de 9, poderão escolher o que fazer. No que depender dos assessores norte-americanos, as alternativas são diversificadas.

A ideia é que a programação da família Obama inclua passeios ao Pão de Açúcar, ao Corcovado e a uma das praias do Rio. Para o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, Obama deve conhecer a comunidade do Chapéu Mangueira, no Leme, zona sul da cidade. No local foi rodado em 1959 o filme Orfeu Negro. Em sua biografia, o presidente americano diz que o filme encantou a sua mãe.

Assessores de Obama examinaram outras comunidades que também passaram pelo processo de pacificação, entre elas a Cidade de Deus, na zona oeste do Rio, que também virou tema de um filme, Cidade de Deus, que conta a evolução do crime organizado na região.
 
Assim como em Brasília, no Rio, Obama também vai se reunir com empresários. Paralelamente, as filhas dele terão uma série de atividades que ainda estão sendo organizadas. Por orientação da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, Malia e Sascha devem participar de atividades socioeducativas.

Para os diplomatas brasileiros, a visita de Obama ao Brasil com a família é a demonstração de que as relações dos Estados Unidos com o Brasil vão além das questões de Estado, como a manutenção de laços comuns, que unem nações que nasceram da colonização e progrediram definindo o próprio rumo.

Do Brasil, Obama seguirá para o Chile, onde fica de 21 a 22 deste mês, e depois para El Salvador, onde ficará apenas no dia 23. De acordo com o governo chileno, na visita do presidente norte-americano, serão abordados vários temas de interesse comum dos dois países.

 

Leia Também