Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

OAB irá contribuir para consulta pública sobre Direitos Autorais

25 JUL 10 - 02h:00
     A Ordem dos Advogados do Brasil vai designar um de seus conselheiros para analisar a proposta do governo federal que modifica a Lei de Direitos Autorais. A intenção é que a entidade contribua com a consulta pública para aperfeiçoamento do anteprojeto, aberta desde 14 de junho. Em encontro com o ministro Juca Ferreira, na tarde de quinta-feira (22 de junho), o presidente da OAB, Ophir Cavalcanti, garantiu que será feita uma análise despregada de preconceitos, de forma a deixar o sistema mais justo todos.

        De acordo com o ministro, o esforço dos últimos anos tem sido o de ampliar o acesso à cultura, e uma das ações nesse sentido é o de criar um marco legal para o setor. Atualmente, são dez projetos de lei em tramitação no Congresso Nacional. ?No que diz respeito à legislação autoral, nosso objetivo é garantir os direitos do autor e também harmonizá-los com os dos cidadãos e dos investidores da área da cultura?, disse.

        Cavalcanti concorda com a visão de harmonização de direitos e que isso deva estar expresso na lei. O tema vem causando polêmica em alguns setores, pela tentativa de equilibrar a lei autoral com outras normas como o Código Civil e a Lei de Defesa da Concorrência. ?Essa é uma matéria que toda a sociedade precisa debater. A OAB tem o dever de dar sua contribuição?, afirmou.

         

        Supervisão

        A necessidade de dotar o sistema de arrecadação e distribuição dos direitos autorais de transparência foi um dos temas da conversa entre Cavalcanti e Ferreira. Ao saber que o Brasil é o único país da América Latina e do grupo dos 20 maiores mercados de música do mundo onde não há supervisão do trabalho de arrecadação dos direitos, Cavalcanti comparou o sistema a um ?cartório, no pior sentido?, por atuar em monopólio legal e acreditar que não precisa prestar contas a ninguém.

        ?Até os próprios cartórios estão mudando isso. Nós exigimos transparência de todas as instituições. Por que um setor da sociedade vai estar fora disso??, questionou, ao criticar a resistência das próprias associações de gestão coletiva em mudar a lei. ?Estarrece ver que Estados democraticamente bem estruturados têm supervisão, e o Brasil não tem?, completou.

         

        (Informações do Ministério da Cultura)

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Número de novo partido será 38, diz Bolsonaro
ALIANÇA PELO BRASIL

Número de novo partido será 38, diz Bolsonaro

SENADO

Alcolumbre manobra para atrasar votação de PEC da 2ª instância

Torcedores que vão ao Peru devem ficar atentos às regras do país
LIBERTADORES

Torcedores que vão ao Peru devem ficar atentos às regras do país

Festival do Japão e obras interditam ruas neste fim de semana; Confira
CAMPO GRANDE

Festival do Japão e obras interditam ruas neste fim de semana; Confira

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião