Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

DESABAMENTO

"O prédio tremeu", conta brasileira vizinha do que desabou em NY

12 MAR 14 - 22h:00FOLHAPRESS

O casal de professores brasileiros Marisol Espinosa, 38, e Marcelo Tessari, 39, estava em sua casa, no East Harlem, em Nova York, se preparando para dar uma aula via Skype, quando ouviu um forte estrondo na manhã de hoje.

O edifício onde o casal de gaúchos mora fica no mesmo quarteirão dos dois prédios que desabaram hoje após uma forte explosão, mas é voltado para Madison Avenue, via paralela à Park Avenue, onde ocorreu o acidente.

"O prédio inteiro tremeu, achei que o meu prédio estava vindo abaixo", disse Espinosa. "Pensei que podia ser um atentado com bomba, ou um avião caindo perto, porque moramos meio perto do aeroporto La Guardia. Então peguei a minha bolsa e eu e meu marido saímos rápido de casa."

A professora conta que, assim que olhou pela janela, já viu vários policiais na rua. "Tinha gente gritando e olhando na direção do nosso prédio, porque a explosão foi atrás dele."
Segundo Espinosa, no térreo de seu edifício, partes do teto de um salão de beleza caíram.

O casal, que vive em Nova York há cinco anos, já tinha passado por outro "susto", quando morava no Soho: o terremoto de escala 5,8 que atingiu várias cidades do nordeste do país em agosto de 2011. "Mas não foi nada comparado com agora. Desta vez, foi muito mais forte", disse.

Ela e o marido ainda voltaram para o apartamento uma hora depois do acidente, mas decidiram não ficar por conta da fumaça que tomava o prédio.

Ao menos duas pessoas morreram na explosão e 18 ficaram feridas. Ainda há desaparecidos, que podem estar sob os escombros.

Aparentemente, um vazamento de gás teria causado o acidente. Segundo o prefeito de Nova York, Bill de Blasio, a concessionária Con Edison recebeu um telefonema cerca de 15 minutos antes da explosão alertando sobre um cheiro de gás. "Uma equipe foi mandada imediatamente, mas não conseguiu chegar antes da explosão", disse o prefeito.

"Esta é uma tragédia do pior tipo, porque não houve sinais há tempo para que pudéssemos salvar as pessoas", afirmou. Blasio disse que assim que foram avisados da explosão, no entanto, os bombeiros chegaram "em dois minutos".  

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Em um dia, três bolivianas e peruano são presos com cocaína na fronteira
PREJUÍZO AO TRÁFICO

Em um dia, três bolivianas e peruano são presos com cocaína na fronteira

BRASÍLIA

Governo se rende às indicações políticas para aumentar base

BRASIL

Luiz Eduardo Ramos: 'Quero fidelidade ao governo nas pautas para o País'

DOURADOS

Após morte de criança em hospital, polícia investiga suspeita de estupro

Laudo médico encontrou lesão antiga sem relação com o óbito

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião