Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

POLÍTICA

O pop simpático do Biquini Cavadão

O pop simpático do Biquini Cavadão
25/02/2010 04:38 -


A banda carioca Biquini Cavadão, que se apresentará na primeira edição de 2010 do Projeto MS Canta Brasil, no Parque das Nações Indígenas, no dia 7 de março, nunca usufruiu da popularidade e dos elogios dos críticos como acontece com alguns companheiros de geração. Por outro lado, conseguiu, ao longo dos anos, manter postura coerente e nunca se afastou do pop simpático que a caracterizou desde que a faixa “Tédio” caiu nas graças das emissoras de rádio, em 1986. Praticamente com a mesma formação dos primeiros anos de atividade – Bruno Gouveia (vocal), Miguel Flores (teclado), Álvaro Birita (bateria) –, a banda passou por muitos momentos do mercado nacional nos últimos anos. “Talvez não soframos a mesma pressão que outras bandas até com mais sucesso do que a gente, mas de uma coisa eu sei: não é fácil manter uma carreira artística no Brasil, ainda mais quando o País vive de monocultura. Num primeiro momento, vivemos a monocultura do paubrasil, da cana-de-açúcar e do café; na parte cultural, temos a monocultura do sertanejo e do pagode. Com isso, torna-se complicado para quem está de fora desse processo”, aponta o vocalista Bruno. Mesmo sem contar com a explosão de outras bandas, o Biquini Cavadão conseguiu, em determinadas temporadas, criar hits pegajosos – foi assim com “Zé ninguém” (1990), “Vento ventania” (1992) e “Janaína” (1998). “Sempre vivemos da banda. Nunca paramos, completaremos 25 de estrada no ano que vem. Tiramos o nosso sustento da banda”.

Felpuda


Prefeitura de município do interior de MS recebeu recomendação do Ministério Público do Estado no sentido de exonerar servidores comissionados, livres do cartão de ponto, que são parentes de secretários da administração e de vereadores. O nepotismo se tornou um excelente “negócio” por lá, e se até o dia 6 de agosto as devidas providências não forem tomadas, medidas serão adotadas, como ação por improbidade administrativa. Tem gente que não aprende mesmo, né?