Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

POLÍTICA

O adeus a Délio

O adeus a Délio
09/02/2010 22:14 - OSCAR ROCHA


Durante grande parte do dia de ontem, familiares, amigos, artistas e autoridades passaram pelo Plenarinho da Câmara Municipal de Campo Grande para dar adeus a um dos mais importantes artistas sul-mato-grossenses, o músico José Pompeu, conhecido como Délio, da dupla que fez com Delinha. Ele morreu aos 84 anos, na segunda-feira, às 16h, no Hospital do Câncer Alfredo Abrão, em Campo Grande, depois de lutar contra um câncer no pulmão por cerca de 4 anos. “Os sintomas da doença começaram a ficar mais graves em 2006, quando percebemos que ele não estava bem”, lembra a esposa do músico, Olanda Roque. A última aparição pública aconteceu em novembro do ano passado, quando 30 grupos musicais homenagearam o artista no Clube Rancho do Cowboy. “O Délio ficou muito contente com a festa, se emocionou bastante”, enfatiza Olanda. Na ocasião, perto de 4 mil pessoas prestigiaram o evento, que teve a arrecadação repassada a Délio para custear despesas médicas. Em entrevista ao Correio do Estado, publicada em 22 de março de 2007, contou sobre a dificuldade financeira. Na época, ainda fazia shows e os cachês ajudavam no orçamento doméstico, que se juntava à aposentadoria de um salário mínimo. Os direitos autorais das canções não eram constantes. “Às vezes cai R$ 200, R$ 300 e até R$ 400, mas não passa disso”, declarou. Del i n ha lembra que a última apresentação da dupla aconteceu na gravação do DVD do músico Maciel Corrêa, em 2008, quando a doença de Délio dificultava sua performance. Atualmente, ela canta com o filho João Paulo.

Felpuda


Prefeitura de município do interior de MS recebeu recomendação do Ministério Público do Estado no sentido de exonerar servidores comissionados, livres do cartão de ponto, que são parentes de secretários da administração e de vereadores. O nepotismo se tornou um excelente “negócio” por lá, e se até o dia 6 de agosto as devidas providências não forem tomadas, medidas serão adotadas, como ação por improbidade administrativa. Tem gente que não aprende mesmo, né?