sábado, 21 de julho de 2018

Número de mortos na tragédia beira a 600

16 JAN 2011Por RIO00h:00

O número de mortos em decorrência das fortes chuvas que atingiram a região serrana do Rio chegou a 598 ontem, até o fechamento desta edição. De acordo com informações da Defesa Civil, 267 óbitos foram registrados em Nova Friburgo, 260 em Teresópolis, 53 em Petrópolis e 18 em Sumidouro. As vítimas fatais que teriam sido encontradas em São José do Vale do Rio Preto não estão especificadas no último levantamento da Defesa Civil.

Ainda segundo o boletim da Defesa Civil, são 7.780 desalojados e 6.050 desabrigados nas três cidades mais afetadas. Em Petrópolis, são 3,6 mil desalojados e 2,8 mil desabrigados. Em Teresópolis, são 960 desalojados e 1.280 desabrigados. Em Nova Friburgo, são 3.220 desalojados e 1.970 desabrigados.

As autoridades ainda não sabem estimar o número de pessoas desaparecidas porque as equipes de resgate enfrentam dificuldades para chegar, com o maquinário necessário, a locais afetados para tentar resgatar vítimas. Ontem, voltou a chover forte na região, o que prejudica as operações de resgate. O vice-governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, disse que as equipes devem utilizar rapel para chegar aos locais mais difíceis.

O Instituto Médico Legal (IML) do Estado montou uma força-tarefa para ajudar nas identificações dos corpos. Na porta dos locais improvisados como necrotérios, uma multidão procura por amigos, familiares ou conhecidos que desapareceram depois da madrugada de terça para quarta-feira. Muitos ainda não foram encontrados em meio aos escombros. O reconhecimento dos mortos é feito através de fotos.

Na cidade de Nova Friburgo, os setores da Justiça autorizaram que os corpos das vítimas sejam enterrados sem identificação porque os médicos-legistas que trabalham na região serrana não estão dando conta de reconhecer tantos mortos, que já começam a exalar mau cheiro por falta de refrigeração.

Prejuízos
Além de mortes e destruição, as chuvas provocaram muitos prejuízos na região serrana. De acordo com o prefeito de Teresópolis, Mario Jorge, serão necessários R$ 590 milhões para reconstruir a cidade. Já a Secretaria de Turismo e a Associação de Hotéis do Rio de Janeiro (ABIH/RJ) estima que os prejuízos causados ao faturamento da rede hoteleira chegam a US$ 30 milhões somente nas cidades de Nova Friburgo, Petrópolis e Teresópolis.

Leia Também