Número de milionários no Brasil sobe para 165 mil, diz estudo

Número de milionários no Brasil sobe para 165 mil, diz estudo
20/06/2012 12:45 - r7


O número de milionários brasileiros cresceu 6,2% no ano passado. De acordo com um relatório feito pela empresa de consultoria Capgemini, em parceria com o RBC Wealth Management, o País tinha 155 mil milionários em 2010 e passou para 165 mil em 2011. O resultado é o mais positivo entre os países que participaram da pesquisa.

Nos Estados Unidos, por exemplo, o número passou de 3,104 milhões para 3,068 milhões, uma queda de 1,2%. O Reino Unido também registrou queda no número de milionários. Em 2010 eram 454 mil, passando para 441 mil em 2011 - uma baixa de 2,9%.A pesquisa concluiu ainda que a população global de milionários cresceu em 0,8%, o que inclui 11 milhões de pessoas em 2011.

Além disso, entre os milionários, houve um crescimento de 1,1% da riqueza entre os que possuem rendimentos entre US$ 1 milhão e US$ 5 milhões. Enquanto isso, a riqueza dos multimilionários caiu 4,9%. O relatório afirma também que o número de milionários na Ásia-Pacífico aumentou 1,6% em 2011, com 3,37 milhões no total - mais do que os 3,35 milhões da América do Norte e os 3,17 milhões da Europa. O estudo considerou milionários quem possui mais de US$ milhão (cerca de R$ 2 milhões) disponíveis para investimento, ou seja, não foram contabilizados ativos como imóvel residencial, artigos de colecionador e bens de consumo.

Veja o número de milionários nos países pesquisados:
1º - Estados Unidos: 3,068 milhões
2º - Japão: 1,822 milhão
3º - Alemanha: 951 mil
4º - China: 562 mil
5º - Reino Unido: 441 mil
6º - França: 404 mil
7º - Canadá: 280 mil
8º - Suíça: 252 mil
9º - Austrália: 180 mil
10º - Itália: 168 mil
11º - Brasil: 165 mil
12º - Coreia do Sul: 144 mil

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".