Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

BALANÇO

Número de atendimentos médicos no Sambódromo chega a 543

Número de atendimentos médicos no Sambódromo chega a 543
02/03/2014 14:00 - AGÊNCIA BRASIL


O segundo dia de desfiles das escolas de samba da Série A, no Rio de Janeiro, registrou 344 atendimentos médicos nos postos do Sambódromo e do Terreirão do Samba, informou a Secretaria Municipal de Saúde. Desse total, seis pacientes foram transferidos para unidades de emergência da rede municipal.

Foi grande a procura nos nove postos de saúde montados pela prefeitura na Passarela do Samba e em seu entorno. O que apresentou maior demanda foi o posto do setor 2, localizado ao lado do primeiro recuo da bateria, acrescentou a secretaria. No local, foram atendidos 61 pacientes e feita uma remoção.

Somando os dois dias de desfiles da Série A na Passarela do Samba, na última sexta-feira (28) e ontem (1º), foram feitos 543 atendimentos, sendo 13 pessoas transferidas para hospitais da prefeitura. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, as principais causas dos atendimentos foram desidratação, dor de cabeça e mal-estar .

No ano passado, a secretaria fez 2.617 atendimentos nos nove postos instalados no Sambódromo e no Terreirão do Samba. O número superou em 5% o resultado apurado no carnaval de 2012, quando 2.493 pessoas receberam assistência.

Felpuda


O desgaste de antigas lideranças nacionais, com reflexo em nível local, é a maior preocupação dos dirigentes de partidos para as eleições deste ano, que terá reflexo em 2022. Em épocas passadas, essas figurinhas cruzavam os céus do País para visitarem os municípios e pedirem que a população votasse em seus ungidos. Agora, com pendências judiciais e poder enfraquecido, dificilmente seriam convidadas. A pandemia, que resultou no isolamento social, foi a pá de cal.