Sábado, 24 de Fevereiro de 2018

ÍNDICE ALARMANTE

Número de acidentes na Capital aumenta 43%

23 DEZ 2010Por Silvia Tada00h:00

O número de acidentes de trânsito aumentou 43% em um ano, em Campo Grande, passando de 6.942 casos de janeiro a novembro de 2009 para 9.917 no mesmo período deste ano. É o que mostram as estatísticas de acidentes registradas pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MS). Já a quantidade de acidentes com danos materiais subiu 117%. Apesar do acréscimo de mais que o dobro no número de colisões consideradas leves, de 2.086 para 4.528, houve queda de 7% no número de mortes e aumento de 11% na quantidade de feridos.

Nos primeiros onze meses deste ano, 51 pessoas morreram em decorrência de acidentes de trânsito, em 50 ocorrências. No mesmo período do ano passado, as autoridades computaram 55 vítimas que morreram no local do acidente, no mesmo número de acidentes — diminuição de 9%. A estatística de morte em 2010, até agora, é a menor dos últimos cinco anos. O recorde de óbitos foi em 2008, quando 91 pessoas morreram após se envolver em colisões.

A quantidade de feridos aumentou, passando de 6.526 pessoas para 7.242, na comparação dos últimos dois anos.

Para o comandante da Companhia Independente de Polícia Militar de Trânsito (Ciptran), major Alírio Villassanti, o aumento da frota, principalmente a de motocicletas, têm contribuído para o aumento nos índices. "Outra questão é o desrespeito à legislação, como o excesso de velocidade. Para combater as infrações, temos intensificado as blitze, com ações durante o dia e à noite", comentou.

Novembro
Levando-se em conta apenas os acidentes ocorridos no mês passado, na Capital, o número chega a 858 casos, 28% a mais que em novembro de 2009. A quantidade de mortos permaneceu a mesma nos dois períodos — três vítimas, sendo um pedestre, um motorista e um motociclista, todos do sexo masculino. Em 2010 foram 554 ocorrências com vítimas e dessas, 222 (40%) envolviam motocicletas e 176 (32%), automóveis.

A grande maioria dos envolvidos nos acidentes eram homens, com pelo menos 697 feridos do sexo masculino, 72% do total. A faixa etária de maior prevalência foi dos 18 aos 24 anos, com 220 pessoas envolvidas nas colisões. Outro dado do Detran-MS é que 38% dos condutores que se acidentaram tinham menos de um ano de habilitação.

Vias
A Avenida Afonso Pena continua sendo a via mais problemática da cidade. Nela foram registrados 50 acidentes; em seguida, aparece a Rua Antônio Maria Coelho, com 24 ocorrências e a Rua Joaquim Murtinho, com 20 casos. São listados, ainda, as avenidas Avenida Marechal Deodoro (19), Costa e Silva (18), Mato Grosso (15), Fernando Corrêa da Costa (14) e Eduardo Elias Zahran (12).

A infração mais cometida pelos condutores foi transitar acima de 20% da velocidade permitida — 3.893 notificações (27% das 14.690); seguida de deixa de efetuar o registro do veículo, com 1.801 casos e dirigir falando ao celular ou utilizando fone de ouvido ou aparelho sonoro, com 1.382 ocorrências.

Leia Também