Domingo, 18 de Fevereiro de 2018

ESTADO

Novos pontos de cultura podem ser habilitados

5 OUT 2010Por 09h:15

Thiago Andrade

Mato Grosso do Sul pode receber mais nove pontos de cultura, abrangendo cidades como Campo Grande, Bonito e Amambai, com o objetivo de democratizar a cultura, seguindo os parâmetros estabelecidos pelo Ministério da Cultura (MinC). A publicação dos projetos habilidados no Diário Oficial de ontem diz respeito à primeira etapa do processo, que promoveu a análise dos documentos enviados para a seleção. Segundo a assessoria da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS), as próximas etapas acontecerão até o fim do ano.

As instituições selecionadas foram a Associação Colônia Paraguaia, o Instituto Seiva Brasil de Desenvolvimento Tecnológico e Sustentável, a Associação Amigos do Brazil Bonito, a Associação Esportiva e Cultural Nipo-Brasileira de Campo Grande, a Fundação Nelito Camara, o Ginga Cia. de Dança, a Associação Cultural Amambaiense, a Associação Planeta Pantanal e a Sociedade Comunitária Gibiteca. Por meio delas, ações culturais em áreas como culturas populares, patrimônio material, audiovisual e radiodifução, culturas digitais, gestão e formação cultural, pensamento e memória, entre outras, serão desenvolvidas com apoio do MinC e da FCMS.

Cinema
Iniciou-se ontem o módulo de “Direção de atores”, do Projeto Mídias Contemporâneas Narrativas Populares, do Pontão de Cultura Guaicuru.  Ministrada pelo ator, roteirista e diretor baiano Gilherme Marback. O projeto que vem sendo realizado desde junho, com oficinas que visam demonstar ao grupo selecionado pelo Pontão, formado por agentes culturais de diversas áreas, tem o objetivo de abrir as portas da produção cinematográfica e criar um coletivo ativo na arte sul-mato-grossense.

Neste módulo, assim como no anterior, os alunos já preparam o material para duas produções: o curta-metragem de ficção “Enterros”, sobre as lendas envolvendo tesouros enterrados por Solano Lopes durante a Guerra do Paraguai, e “Fim da linha”, documentário que interroga a retirada dos trilhos das regiões centrais de Campo Grande. Equilibrando teoria e prática, Gilherme trabalhará com os alunos teorias sobre o papel do ator na cena, partindo de autores Stanislávski e Brecht, e discutindo o papel do diretor.

Leia Também