Sexta, 23 de Fevereiro de 2018

COMENTÁRIO TV

Novos galãs fazem a Globo dormir tranquila

21 OUT 2010Por Oscar Rocha17h:00

Nas décadas de 1970 e 1980, a Rede Globo dormia tranquila quando o assunto era quem escalaria como galã em suas novelas. Antônio Fagundes, Francisco Cuoco, Tarcísio Meire,  Cláudio Marzo e Tony Ramos, Jose Mayer cumpriam bem a função. O tempo passou e aconteceram várias tentativas de renovar seu cast  para interpretar mocinhos. Todos, sem exceção, entre os citados, ultrapassaram a faixa dos 60 anos. Em alguns casos, estão perto dos 80 anos. 

No decorrer dos anos, outros nomes apareceram –  Marcos Palmeira, Fábio Assunção... –,  mas ainda eram poucos para preencher as vagas existentes. Para se ter ideia, vários nomes foram testados. Por exemplo, Thiago Fragoso fracassou em “O profeta”. Tanto que quem se destacou foi o vilão da trama, Dalton Vigh – outro que disputa a vaga de galã na emissora, mas que ainda não emplacou.  Thiago Rodrigues e Guilherme Berenguer foram outras possibilidades testadas. Não foram felizes em seus testes.
Agora, em “Ti ti ti”, de Maria Adelaide Amaral, a Globo aposta em alguns nomes que apareceram em “Malhação”. Para felicidade dos executivos, a aposta está agradando ao público. Três nomes se destacam: Caio Castro (Edgar), Rafael Cardoso (Jorgito) e Humberto Carrão (Luis Otávio). Cada um deles  recebe atenção com suas interpretações. A trama da novela já é boa e os garotões ajudam mais no tom de suas performances. Caio, que tinha tudo para naufragar –  por causa do tipo linear do personagem –, se sai muito bem como galã. Impossível não observar que a química com a atriz Isis Valverde ajuda bastante.
Enfim, nas novas apostas a Globo prossegue o  processo industrial de produção de novelas. Novos rostos, velhas funções.

Leia Também