Novo exame pode ajudar em tratamento de doença autoimune

Novo exame pode ajudar em tratamento de doença autoimune
06/09/2012 22:00 - TERRA


A nefropatia membranosa idiopática é uma doença autoimune que leva à falha dos rins se não tratada. O problema é que a terapia com imunossupressores é efetiva, mas tóxica demais em alguns casos. Agora, pesquisadores da Holanda, França e Reino Unido criaram um teste que pode identificar quais pacientes podem ou não receber as medicações. Além disso, o exame de sangue pode ajudar os médicos a entender a severidade da doença e planejar o tratamento. A pesquisa foi divulgada nesta quinta-feira no Journal of the American Society of Nephrology (JASN).

"Não está claro quem pode ser tratado, quando o tratamento deve começar e quão longo o tratamento deve ser continuado. Nós precisamos de melhores ferramentas para ajudar na tomada de decisões", diz Julia Hofstra, da Universidade Radboud (Holanda), que participou do estudo. Pesquisadores identificaram recentemente em pacientes anticorpos - chamados de antiPLA2R - que atacam e causam danos aos rins. Os médicos, contudo, não têm ferramentas para medir esses anticorpos e não sabem se o nível deles no sangue provê alguma informação sobre a severidade da doença.

Agora, o novo estudo mostrou que quanto maior o nível de antiPLA2R no sangue, mais severa é a doença. Além disso, quanto menor a quantidade do anticorpo no sangue, maior é a chance de remissão espontânea da doença (34% no grupo com os mais baixos índices contra 4% naqueles com os maiores). "Esses dados nos dão esperança de que, em um futuro próximo, anticorpos antiPLA2R possam ser detectados com uma simples amostra e medição dos níveis no sangue e possa aprimorar o tratamento em pacientes", diz Julia.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".