Campo Grande - MS, terça, 14 de agosto de 2018

Prazo curto

Novo cronograma prorroga obras de portos para Copa de 2014

26 ABR 2011Por IG18h:30

Uma revisão no cronograma de instalação de novos terminais portuários para a Copa de 2014 adiou a previsão de início das obras em cinco portos e reduziu o tempo de execução previsto em quatro deles. Os novos prazos foram acertados entre a Secretaria Especial de Portos (SEP) e as cidades-sede neste mês.

Ao todo, sete portos devem ser construídos ou reformados até 2014. São eles, Santos (SP), Rio de Janeiro (RJ), Recife (PE), Fortaleza (CE), Salvador (BA), Natal (RN) e Manaus (AM). A segunda versão do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) destinou R$ 740 milhões para essas obras, mas até agora - a pouco mais de três anos dos jogos - nenhuma delas foi iniciada.

As mudanças no cronograma se devem principalmente a atrasos nos licenciamentos ambientais e revisões de editais e projetos. Essas questões fizeram com que o início da construção do terminal de passageiros do Recife, por exemplo, fosse transferido de junho para outubro deste ano. O tempo esperado de execução da obra foi reduzido de três anos e meio para um ano e quatro meses apenas.

Apesar dos adiamentos, os portos têm de estar prontos a pelo menos três meses da Copa, que começa no dia 6 de junho de 2014. A exceção é o porto de Santos. O realinhamento do cais e a construção de uma via interna de acesso ao terminal de passageiros devem ser finalizados apenas em 30 de abril de 2014, a pouco mais de um mês do início dos jogos.

Os portos do Rio de Janeiro, Manaus, Fortaleza e Salvador, além do Recife, também devem demorar um pouco mais do que o esperado no cronograma inicial, de junho de 2010, por uma revisão nas datas.

Nos casos de Natal, Recife, Fortaleza e Salvador, as obras tiveram o prazo de execução encurtado na última versão do cronograma oficial da Secretaria dos Portos.. O tempo de execução das obras do Rio, Santos e Manaus será mantido ou aumentado.

Obras no Rio e em Santos aceleradas

Por causa do cronograma muito apertado, Santos e o Rio devem ter editais reformulados e o ritmo de obras mais intenso do que em outras cidades, de acordo com o ministro da Secretaria Especial de Portos (SEP), Leônidas Cristino. O objetivo é que a data de entrega volte para fim de 2013, conforme previsto inicialmente.

“Vamos tentar puxar a entrega dos dois para o fim de 2013. Para isso, vamos reformular editais e apressar a execução do projeto com pessoal trabalhando em três turnos, durante 24 horas”, disse o ministro no início do mês, em Brasília.

Não há previsão para lançamento do edital do Rio de Janeiro, que está sendo refeito pela Companhia das Docas do Rio de Janeiro. Já o de Santos, deve ser lançado até o fim de maio, informa o ministro.

Navios podem substituir hotéis

Assim como os prazos foram revisados, também o orçamento das reformas e construções portuárias para a Copa deve ser revisto. Do valor originalmente esperado em R$ 740 milhões, os gastos devem subir para algo entre R$ 900 milhões e R$ 1 bilhão, de acordo com o ministro da SEP.

Para Cristino, os investimentos devem estimular o uso dos leitos de navio como opção aos hotéis. “Há a possibilidade de o navio servir de hotel não só para quem viajar em cruzeiros, mas para quem vier direto para a cidade e não encontrar ou não quiser vaga em hotel. Isso já foi feito em Atenas (sede da Olimpíada em 2004) e Pequim (sede em 2008)”, conta.

Ao aumentar a capacidade das cidades de hospedarem turistas, os cruzeiros suprem o déficit de hotéis e evitam a criação de acomodações que se tornariam "elefantes brancos", segundo Cristino. “A ampliação de hotéis pode não se sustentar depois da Copa pela falta de demanda, mas os portos continuam tendo utilidade porque vão atrair navios de carga”, diz.

Leia Também