Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Novo aterro terá sistema controlador de Biogás

4 AGO 10 - 13h:10
     

Em vez de jogar na atmosfera o gás metano, a partir de seu funcionamento, o novo aterro sanitário de Campo Grande emitirá o gás carbônico corretamente tratado que é 21 vezes menos poluente. A apresentação do novo sistema foi acompanhada, na manhã desta quarta-feira (04.08) pelo prefeito Nelson Trad Filho e pelo titular da Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano), Marcos Cristaldo.

A ordem de serviço para a execução dos trabalhos já foi dada pela Prefeitura de Campo Grande à Empresa Fama Air Technologies Ltda. O valor dos investimentos será de R$ 142.871,00 e a empresa fará a prestação de serviços técnicos de engenharia consultiva para a elaboração do Projeto Executivo do sistema de captação e queima de biogás, a ser implantado no novo aterro sanitário de Campo Grande.

Durante a abertura das apresentações dos trabalhos, o prefeito explicou que o tratamento correto do lixo e a obtenção dos créditos de carbono é uma das grandes lutas de sua administração. "Para que tudo isso aconteça, temos várias etapas para vencer. É um grande desafio e achei importante investir e, com a instalação desse sistema, temos a possibilidade de vender os créditos de carbono", frisou.

O diretor de engenharia da empresa Fama Air Technologies, William Tumani Marion ressaltou que o sistema diminui a formação de bolsão de gás e evita as explosões e queimas que acontecem atualmente. "O equipamento possui tecnologias de análise de gás, melhor combustão, retém as chamas dentro do queimador, segurança operacional e a chama não ilumina ao redor do queimador", disse.

A Promotora de Justiça do Meio Ambiente do Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul, Mara Cristiane Crisóstomo Bravo, disse que a instalação do sistema de captação e queima do biogás a ser implantado no aterro de Campo Grande está de acordo com as normas da Lei ambiental de resíduos sólidos da Presidência de República. "O sistema apresentado é bom. Ele tem a capacidade de transformar o gás metano em energia limpa", disse a promotora ao acrescentar que a segurança dos trabalhadores do aterro está garantida e não haverá mau cheiro no entorno do local.

        O titular da Semadur, Marcos Cristaldo disse que o MDL (Mecanismo de Desenvolvimento Limpo) é um projeto complementar do novo aterro sanitário de Campo Grande e a empresa esta credenciada para executar todos os trabalhos. "Estamos antecipando mais uma etapa de execução dos trabalhos do aterro", comentou.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Vasco quebra tabu de 12 anos e vence o Inter em Porto Alegre
BRASILEIRÃO

Vasco quebra tabu de 12 anos e vence o Inter em Porto Alegre

Enterrado em Campo Grande corpo do cantor Ivo de Souza
LUTO

Enterro tem homenagem de sanfoneiros ao cantor Ivo de Souza, morto em acidente

Gado é abandonado sem pastagem e rebanho pode ser sacrificado
CRIME AMBIENTAL

Rebanho é abandonado sem pasto e pode ser sacrificado

Festival de cultura movimenta UFMS nesta semana
CAMPO GRANDE

Festival de cultura movimenta UFMS nesta semana

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião