Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CHUVA

Nove pontos críticos de enxurrada devem continuar sem solução

Nove pontos críticos de enxurrada devem continuar sem solução
16/01/2014 00:00 - DA REDAÇÃO


A prefeitura de Campo Grande só tem projetos para solucionar seis dos 13 pontos críticos elencados pela Defesa Civil, onde há riscos de alagamentos e outros danos causados pelas chuvas de verão, e no que diz respeito a recursos, só quatro pontos tem verba garantida para obras.

Segundo o jornal Correio do Estado, os quatro locais que já possuem investimento direcionado são as intervenções na avenida Guaicurus, nos bairros Marcos Roberto e Jockey Clube e na avenida Capibaribe. Conforme Semy, amanhã (17) a prefeitura vai receber as propostas da empresas interessadas na pavimentação e drenagem da Guaicurus. “A abertura de propostas de preço é dia 17 e a obra será feita com recursos próprios da prefeitura”, sustentou o secretário. Serão investidos R$ 12 milhões.

A matéria publicada na edição de hoje informa que a solução para os bairros Marcos Roberto e Jockey Clube passa pela finalização das obras de contenção à enchente iniciadas em 2012. Resta 25% para ser concluída e conforme a Seintrha, o problema “será resolvido com a obra em andamento do PAC 2 [Programa de Aceleração do Crescimento] Cabaças e Areias. A empresa Pactual vai fazer as interligações de drenagem na avenida Costa e Silva e também no final da rua Ouro Verde e no cruzamento com a avenida Fábio Zaran”.

Quanto à avenida Capibaribe, o secretário de obras informou que está em vias de ser aberta uma licitação pela Central de Compras da prefeitura para a construção de uma nova travessia para o córrego Serradinho, que atravessa a via. O projeto já existe e está orçado em R$ 1,3 milhão, com recursos dos cofres municipais. A reportagem é de Lúcia Morel.

Felpuda


Figurinha começou a respirar aliviada, embora ainda esteja na corda bamba. Isso porque mudou de mãos o processo cuja sentença poderá mandá-la para casa definitivamente. Assim, pela “jurisprudência” com a qual o “analista” é conhecido, pode ser que o resultado seja bastante favorável, permitindo que a então desesperada pessoa continue com o assento em Brasília. Vamos ver!