Sábado, 24 de Fevereiro de 2018

ALVARÁ

Nova licitação para táxis e mototáxis sai até o fim de fevereiro

11 JAN 2011Por Silvia Tada00h:00

Prefeitura de Campo Grande deve publicar, até o fim de fevereiro, nova licitação para escolha dos 44 mototaxistas e 53 taxistas que atuarão na Capital. A concorrência pública havia sido aberta em julho do ano passado, mas foi suspensa pela Justiça após reclamação de concorrentes sobre os prazos. O processo em andamento foi cancelado e, agora, o certame será relançado, conforme informações do diretor presidente da Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran), Rudel Trindade.

Ontem, foram publicados dois decretos municipais no Diário Oficial de Campo Grande ampliando as frotas, que agora passam a contar com 490 veículos cada. Até então, havia 446 mototáxis na cidade e 437 táxis.

A licitação será nos mesmos moldes da que foi impugnada e cancelada. “Priorizamos o conforto e a segurança dos usuários. O tempo de serviço dos auxiliares de táxis e mototáxis que pretendem assumir seu próprio veículo será levado em conta, bem como o carro a ser utilizado e itens de segurança disponíveis”, afirmou a assessora técnica da Agetran, Evana Gonçalves Silva.

Com a publicação dos decretos de ampliação, a agência municipal encaminha hoje à Central de Licitação a documentação para que seja dado início aos trâmites da concorrência e posterior publicação.

Locais
Os novos trabalhadores da área de transporte serão distribuídos em pontos a serem criados ou ampliados. A Agetran ainda não definiu os locais, mas há levantamentos de regiões que necessitam mais e foram reivindicadas pelos sindicatos.

Entre os novos locais de mototáxis estão os bairros Maria Aparecida Pedrossian, Nova Lima, Hospital El Kadri e a região central. Já os táxis poderão ser encontrados nos bairros Nova Bahia, Conjunto Parati, Moreninhas, Coophavilla 2, Jardim Seminário e na nova unidade de pronto atendimento da Avenida Guaicurus.

A nova rodoviária da Capital não deve ser contemplada com carros a mais, mas o antigo terminal, localizado no centro, deve receber novo ponto. “Há muitos moradores naquela região e, com a mudança da rodoviária, os táxis mudaram-se para a saída para São Paulo, deixando o local desabastecido”, explicou Evana.

Leia Também