Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

domingo, 17 de fevereiro de 2019 - 12h59min

Nova Andradina e Caarapó reduzem atendimento dos órgão públicos

17 AGO 10 - 09h:00
 Dourados

Mais duas prefeituras do sul do Estado adotaram medidas de contenção dos gastos, que incluem a diminuição do horário de atendimento ao contribuinte. Os prefeitos de Caarapó, Mateus Palma de Farias, e Gilberto Garcia, de Nova Andradina, estão preocupados com a queda na receita tributária e antes que ocorra o desequilíbrio financeiro eles se resguardaram.
Farias citou que decisão é por conta da queda dos repasses de recursos, especialmente  do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). “A arrecadação não está acompanhando nem os níveis do ano passado”, queixou-se o prefeito. “Então, é urgente que tomemos algumas medidas para reduzir as despesas, adequando as finanças municipais ao atual momento de dificuldade financeira que, esperamos, seja passageiro”, acrescentou.
O prefeito de Caarapó, cidade a 45 km de Dourados,  espera que a soma de pequenas economias – como água, energia elétrica, telefone e material de expediente, aliada a ações de aumento da arrecadação, possa se transformar na solução esperada para o equilíbrio financeiro.
Ele disse que, entre 2003 e 2008, registrou-se um aumento anual na receita do município superior a 15%. “De 2008 para 2009, essa tendência se inverteu, com uma queda de 5%. No primeiro semestre deste ano, a arrecadação também caiu, ao passo que as despesas aumentaram”, afirmou Farias.  
A primeira medida do prefeito de Caarapó foi a redução da jornada de trabalho, a partir de ontem, passando das 7h às 12h. Os setores da  Educação segue o seu calendário letivo e da Saúde com as ações planejadas. “A redução no horário de atendimento vale apenas para os setores administrativos”, esclareceu.
Em Nova Andradina, a 190 km de Dourados, todas as repartições municipais passaram a adotar expediente das 7h às 13h, e por prazo indeterminado. Justificou “que enquanto não houver equilíbrio nas despesas, não só com pessoal, mas também com as que incidem diariamente, como gastos com água, energia, telefone, combustível etc. e para tentar evitar medidas que poderão ser ainda mais desastrosas”,  o prefeito Gilberto Garcia formalizou as mediadas por decreto.
O decreto também especificou que não serão suspensas, as atividades consideradas essenciais, e as prestadas pela Secretaria de Saúde, que deverá manter em funcionamento os serviços emergenciais dos postos de saúde e o plantão de ambulância. Também estarão funcionando os serviços de limpeza pública, coleta de lixo e execução de obras. (CF)
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

PREÇOS DOS COMBUSTÍVEIS

Após três quedas seguidas, gasolina volta a subir em Campo Grande

Etanol apresentou redução e diesel ficou estável, segundo ANP
Candidatos chegam mais cedo por preocupação com mudança no horário
CONCURSO PÚBLICO

Candidatos chegam mais cedo por preocupação com horário

Em janeiro, 490 empresas foram abertas em Mato Grosso do Sul
ECONOMIA REGIONAL

Em janeiro, 490 empresas foram abertas em Mato Grosso do Sul

Em MS, 12 escolas estaduais oferecerão aulas em tempo integral
ENSINO MÉDIO

Em MS, 12 escolas oferecerão aulas em tempo integral

Mais Lidas