Quarta, 17 de Janeiro de 2018

Nosso amor é lindo...

19 FEV 2010Por 08h:19
“Nosso amor é lindo. Você finge que me ama, e eu finjo que acredito”! Pois é, caro Leitor, esse naco de samba nos acode à lembrança face às juras de amor, fidelidade e compromisso eleitoral entre PMDB e o PT, tendo em vista as próximas eleições presidenciais que aí já estão, cutucando apreensões burguesas e populares, fisiológicas e ideológicas. É só mesmo o tempo e os fatos, senhores absolutos da razão, que responderão às expectativas quanto ao desdobramento de empenhos e fidelidades eleitorais neste 2010. Não é preciso ser cientista político para saber que uma coisa são composições partidárias para viabilizar “governabilidade”, palavra higiênica para definir verbas, cabides de emprego, controle de sacolões e mensalões, pois a aridez da oposição nua e crua é coisa que currais eleitorais e clientelismo político, desde a Roma antiga, não aguentam. Outra coisa é, caro Leitor, pôr a mão na cumbuca ou voto na urna, comprometendo seu futuro, de filhos e netos, quando a posse ou continuidade do poder apontam desdobramentos ideológicos comprometedores para a vida das pessoas. Sim, pois afetam o direito à propriedade privada, fé, moral, liberdade de imprensa, opinião, ensino sem lavagem cerebral, em fim, tudo aquilo que soma para existência ou não de uma condição de vida livre e democrática. E é o que estará em jogo nas próximas eleições. O afunilamento ideológico expresso no decreto que Lula não leu, o PNDH3 , tira qualquer dúvida: o PT é um partido de ideologia totalitária e incompatível com o que o Mundo Ocidental entende como Estado Democrático e de Direito. Esta leitura se complementa com este direcionamento contido no Site do MST, o braço armado do PT: “Seguiremos nossa luta histórica de promover mobilização de massas e ocupações dos latifundios e caminhando rumo às cidades”. Então se entende, leitor, a diretriz do PNDH3 em paralizar o Judiciário diante da violação de direitos constitucionais, face às invasões e depredações de propriedades rurais e urbanas. A lavagem cerebral nas escolas e controle da imprensa estão claramente esboçados no tal Plano, tudo acobertado por lenga lenga politicamente correta sobre “direitos humanos”. Sem dúvida, é o “AI-5” do PT contra nossa frágil Constituição, mas é a que temos e que sustenta nossos direitos básicos. O PMDB não tem instintos suicidas, até pelo contrário, é cobra criada na luta pela sobrevivência partidária e no resguardo dos interesses próprios da iniciativa privada e, portanto, num linguajar petista, é um “Partido burguês”. O mais é conversa mole pra boi dormir e não seria este escriba que iria ensinar a Temer, Sarney, até Nelsinho Trad, etc., instinto de sobrevivência. Não é um Partido de ingênuos e tolos, que não sabem o projeto final e totalitário do PT. Fico imaginando na hora dos olhos nos olhos, nas juras entre as lideranças em leque, uns sabendo exatamente o que cada um pensa do outro, como ficam as máscaras faciais dos personagens... É coisa de teatro, resvalando para pornochanchada...De mais a mais, há essa mala sem alça, a candidata do Lula, que o PMDB teria que carregar. Só mesmo a letra do samba pra definir o momento eleitoral PT-PMDB: “Você finge que me ama, e eu finjo que acredito”!

Leia Também