Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CAMPO GRANDE

Nomeados pelo prefeito Gilmar Olarte tomam posse em solenidade

Nomeados pelo prefeito Gilmar Olarte tomam posse em solenidade
14/03/2014 15:39 - TARYNE ZOTTINO


A solenidade de posse dos secretários do prefeito Gilmar Olarte acontece neste momento no plenário da Câmara Municipal de Campo Grande. A equipe nomeada fará parte do primeiro escalão do chefe do Executivo Municipal, que assumiu o cargo do ex-prefeito, Alcides Bernal. O clima é de festa entre os vereadores. 

Às 19h desta sexta, acontece a primeira reunião de trabalho de Olarte e os secretários municipais. O encontro será no auditório do gabinete do prefeito.

Confira os nomes de quem tomou posse nesta tarde:

Vereador Edil Albuquerque - Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Turismo e Agronegócio

Vereador Jamal Mohamed Salem – Secretaria Municipal de Saúde

Semy Alves Ferraz - Secretaria Municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação

Kátia Maria Moraes Castilho - secretária adjunta de Infraestrutura, Transporte e Habitação

Ricardo Vieira Dias – Secretaria Municipal de Receita

Valtemir Alves de Brito - Secretaria Municipal de Administração

André Scaff - Secretaria Municipal de Planejamento, Finanças e Controle.

César Antônio Gonçalves Afonso - Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano

Rodrigo Gonçalves Pimentel - Secretaria de Governo e Relações Institucionais

Fábio Castro Leandro - procurador Geral do Município

Lilian Maria Maksud Gonçalves – diretora-presidente do Instituto Municipal de Previdência de Campo Grande.

Jean Saliba – diretor-presidente da Agetran

Cícero Ávila de Lima – diretor-presidente da Funsat

Jonys Cabreira Lopes – Comandante da Guarda Municipal

Edson Fernandes Rojas Godoy – superintendente de Comunicação Social 

Felpuda


Sindicalista defende o fim de mordomias e privilégios dos políticos e dos integrantes de outros Poderes, conforme divulgação feita por sua assessoria. Para ele, está na hora de se colocar um basta nessa situação, questionando, inclusive, o número de parlamentares e de assessores. Entretanto, não demonstra a mesma aversão por aqueles dirigentes de sindicatos que se perpetuam no poder e que comandam mais de uma entidade, assim como ele. Afinal, o exemplo deve vir de casa, né?