Campo Grande - MS, quinta, 16 de agosto de 2018

Noite quente quase fez missão que matou Bin Laden falhar

18 MAI 2011Por folha06h:00

Segundo a agência de notícias Associated Press, um erro de cálculo na preparação de um dos helicópteros americanos provocou a queda da aeronave e quase colocou a perder a missão que resultou no assassinato do extremista saudita Osama Bin Laden.

As informações foram dadas à agência por autoridades dos EUA, sob condição de anonimato.

Segundo elas, conforme apontavam fotos de destroços do helicóptero acidentado tiradas no esconderijo de Bin Laden em Abbottabad, os EUA realmente usaram helicópteros com tecnologia stealth (de aeronaves invisíveis a radares).

O objetivo era chegar ao local sem alertar as forças armadas paquistanesas -- uma vez que os EUA acreditavam que grupos do Exército do país dariam cobertura ao saudita.

Porém, o uso da tecnologia stealth adicionou peso às duas aeronaves Black Hawk. Os militares americanos teriam calculado milimetricamente o peso do número de tripulantes e dos equipamentos em cada aeronave para um voo em uma noite mais fria.

Segundo a agência, a temperatura ambiente estava mais alta que o esperado e, como consequência, o ar mais rarefeito. Por causa disso, o primeiro Black Hawk teria perdido sustentação ao pairar sobre a casa de Bin Laden.

Isso teria obrigado o piloto a fazer um pouso de emergência, que acabou partindo a aeronave em duas.

O plano original é que 19 Seals (forças especiais da Marinha dos EUA) invadissem a casa tanto pelo telhado como pelo andar térreo. Eles desceriam dos helicópteros até suas posições de ataque por meio de cordas.

Mas, como o um dos helicópteros caiu, todos os Seals desembarcaram em no térreo e invadiram a casa dos andares mais baixos para os mais altos. Eles usaram bombas para abrir buracos nas paredes.

Segundo a agência, Bin Laden foi achado e morto nos primeiros 15 minutos de missão. Os outros 23 minutos foram usados para explodir o que havia sobrado do helicóptero.

A demora ocasionada pela falha expôs os Seals a um possível confronto com tropas paquistanesas -- o que não aconteceu. O plano para escapar de um eventual cerco paquistanês era que os Seals se trancassem dentro da casa e esperassem que Washington negociasse um salvo-conduto com o Paquistão.

Segundo as autoridades, os EUA sabiam da repercussão negativa que geraria a violação da soberania do Paquistão e que, por causa disso, não teriam oportunidade de repetir a missão em caso de erro.

CÓDIGO

Os oficiais também disseram que a palavra Geronimo, dita aos presentes na sala de situação da Casa Branca não era o nome código de Bin Laden, mas se referiria à letra "G".

Cada fase da missão seria designada por uma letra e a morte de Bin Laden correspondia à fase "G".

O uso da palavra Gerpnimo causou desconforto aos EUA em relação a ativistas e organizações indígenas, pois trata-se do nome de um herói índio histórico, que lutou contra o exército americano.

Leia Também