Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

No Brasil, filme de Stallone não repete sucesso

No Brasil, filme de Stallone não repete sucesso
17/08/2010 15:00 -


     

A ação "Os mercenários", de Sylvester Stallone, estreou em quarto lugar nas melhores bilheterias do último fim de semana no Brasil. O filme não repetiu o feito realizado nos Estados Unidos, aonde liderou o faturamento. Os dados são do site Filme B.

Rodado em parte no Brasil, o longa estreou por aqui em meio a frases polêmicas ditas por Stallone, que ridicularizou o comportamento de brasileiros durante a filmagem da produção. "Os mercenários" ficou em quarto lugar entre os 10 filmes de maior faturamento, com R$ 2,3 milhões arrecadados.

Na liderança, se manteve a animação "Meu malvado favorito", da Universal. O longa protagonizado pelo vilão Gru, que quer roubar a Lua, faturou R$ 4,6 milhões - ao todo, já levou mais de um milhão de pessoas aos cinemas.

Em segundo lugar vem o thriller "A origem", de Christopher Nolan e estrelado por Leonardo DiCaprio. O longa fez R$ 2,7 milhões nos cinemas do país.

A terceira posição foi ocupada pela produção da Disney "O aprendiz de feiticeiro", com Nicholas Cage. A aventura faturou R$ 2,4 milhões em seu fim de semana de estreia.

 

Veja abaixo os dez filmes mais vistos no Brasil e suas bilheterias

?Meu malvado favorito? R$ 4,6 milhões

?A origem? R$ 2,7 milhões

?O aprendiz de feiticeiro? R$ 2,4 milhões

?Os mercenários? R$ 2,3 milhões

?Salt? R$ 1,4 milhão

?Shrek para sempre? R$ 901 mil

?O bem amado? R$ 586 mil

?Eclipse? R$ 205 mil

?Encontro explosivo? R$ 186 mil

?400 contra 1? R$ 142 mil

Felpuda


Paixão política que extrapola o bom senso, chega nas redes sociais e se transforma em baixaria pode resultar em prejuízo no bolso. Isso foi o que aconteceu com autor de texto nada elogioso contra colega por diferenças em apoio a candidatos nas eleições de 2016. O dito-cujo foi condenado a pagar indenização de R$ 7 mil, com correção monetária e juros mensais a partir da publicação da sentença, além dos honorários advocatícios. Detalhe: os adversários daquela época hoje andam de braços dados. Pode?