Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quarta, 14 de novembro de 2018

BALANÇO TRÁGICO

No 1º semestre, 15 perderam a vida na 'Rodovia da Morte'

4 AGO 2012Por EDIÇÃO DE NOTÍCIAS09h:00

Levantamento feito pela PRF (Polícia Rodoviária Federal) aponta que no primeiro semestre deste ano 15 pessoas morreram em acidentes ocorridos na BR-163, no trecho de responsabilidade da 6ª Delegacia, ou seja, na região norte de Mato Grosso do Sul.

O número é igual ao mesmo período de 2011, quando 15 pessoas também morreram em acidentes no mesmo trecho. Em 2012 foram 182 acidentes, contra 180 do ano passado.

Segundo o inspetor Francisco Xavier da Silva, chefe da 6ª Delegacia, o número de mortos é referente às vítimas que morrem nos locais dos acidentes. “As pessoas que são socorridas e morrem posteriormente em decorrência de acidentes não entram para a nossa estatística”, explicou.

Este ano, o número de feridos foi de 129, sendo 76 leves e 53 graves. Já em 2011, 86 pessoas ficaram levemente feridas e 42 sofreram ferimentos graves, totalizando 128.

Ainda de acordo com Xavier, as principais causas de acidentes na BR-163 poderiam ser evitadas. Entre elas estão excesso de velocidade, ultrapassagem proibida, falta de atenção e desobediência a sinalização. Os motoristas que não guardam distância de segurança e dormem ao volante também colaboram para ocorrência de acidentes.

Em alguns trechos da BR-163, principalmente onde se tem água, acontecem muitos atropelamentos de animais silvestres. Na maioria dos casos, antas, capivaras e tamanduás, animais grandes, causam graves acidentes.

O inspetor-chefe afirma que a PRF tem feito a sua parte no que tange a fiscalização. “Trabalhamos para identificar os trechos com maior incidência de acidentes e, posteriormente, efetuamos a fiscalização”, disse Xavier. Porém, isso não basta, os motoristas precisam mudar as atitudes para trafegar numa rodovia com tantos veículos circulando diariamente.

Atualmente, os trechos com maiores incidência de acidentes, na BR-163, são os perímetros urbanos de São Gabriel do Oeste e Coxim, entre os quilometros 610 e 620, e do 720 ao 740, respectivamente

Conforme o chefe do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes) em Coxim, José Cláudio Vilela, o volume diário de tráfego na BR-163, na região norte, é de 7 mil veículos.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também