Quarta, 21 de Fevereiro de 2018

Nível de inadimplência em novembro foi o maior registrado para o mês desde 2005, aponta Serasa

13 DEZ 2010Por AGÊNCIA BRASIL11h:15

O percentual de consumidores que, em novembro, deixaram de pagar suas dívidas dentro dos prazos previstos foi 3,5% maior que no mês anterior e 23,2% superior a novembro de 2009. Esta foi a sétima alta consecutiva do ano e foi também a maior elevação comparativa registrada em um mês de novembro desde 2005.

Segundo os economistas da Serasa Experian responsáveis pelo indicador divulgado hoje (13), o crescimento da inadimplência entre as pessoas físicas é resultado do maior endividamento e comprometimento da renda do consumidor e do acúmulo de dívidas com as compras nas datas comemorativas do varejo, sobretudo no Dia das Crianças (12 de outubro).

Para os economistas, a inadimplência do consumidor se agravou e mudou de patamar, já que, desde junho de 2010, o indicador vinha apresentando crescimentos mensais inferiores a 1,9%. A expectativa dos economistas é que, neste final de ano, os consumidores continuem contraindo novas dívidas. Com isso, a taxa de inadimplência, que, desde janeiro, já acumula uma alta de 5%, no final do ano deve se aproximar dos mesmos 5,9% de elevação verificados no ano passado.

A inadimplência com empresas não bancárias (cartões de crédito, financeiras, lojas em geral e prestadoras de serviços como fornecimento de energia elétrica e água) cresceu 7,7%, contribuindo com uma variação positiva de 2,8%. As dívidas com cheques sem fundos e com os títulos protestados também tiveram alta e contribuíram com 1,7% e 0,1%, respectivamente, no crescimento do índice. As dívidas com os bancos caíram 2,3%, contribuindo com um decréscimo de 1,1%.

Leia Também