Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quarta, 14 de novembro de 2018

Neymar diz que ignora as vaias e que não mudará estilo

5 AGO 2012Por band03h:00

O atacante Neymar voltou a conviver com vaias durante uma partida em território inglês. Assim como havia acontecido no amistoso contra o Reino Unido, na semana que antecedeu o início dos Jogos Olímpicos, em Middlesbrough, o jogador foi perseguido pelos torcedores na partida deste sábado, contra Honduras, pelas quartas de final da competição, no St James' Park, em Newcastle (ING). A reação negativa começou quando o hondurenho Crisanto foi expulso ao fazer falta no santista.

“As vaias não me deixaram abater. A única vez que eu cai no gramado o cara (Crisanto) foi expulso. Estou preparado para tudo, para ser vaiado e aplaudido”, declarou o jogador após o duelo. 

O técnico Mano Menezes, como já havia dito no episódio anterior, atribuiu a reação à "cultura do futebol local", porém desta vez viu também um outro motivo: uma antecipada reação dos britânicos à possível semifinal entre Brasil e Reino Unido, que jogaria na sequência contra a Coreia do Sul pela vaga na semifinal.

“Sempre é difícil trabalhar com hipóteses. Se o Reino Unido passar eles serão todos contra o Neymar. Hoje (sábado) já envolvia isso porque os torcedores estavam pensando em ver o time contra o Brasil na semifinal. Cada vez mais o Neymar terá que saber lidar com isso.”

Neymar ouviu os apupos das arquibancadas em todas as vezes que tocava na bola e até mesmo quando foi para a cobrança do pênalti que igualou a partida em 2 a 2. O técnico adversário, o colombiano Luis Fernando Suárez, preferiu não comentar essa reação do público e ater-se a elogios ao camisa 11 da Seleção Brasileira. 

“O Neymar é um grande jogador, excepcional. Vejam, ele tem apenas 20 anos e o mundo para conquistar. Futebol se joga com essa classe de jogadores como Neymar.”

 

ARTILHEIRO DAMIÃO

Mano escolheu Damião para ser seu centroavante contra Honduras e recolocou Pato no banco (o atacante do Milan foi titular apenas contra a Bielorrússia, na segunda rodada da fase de grupos). E não se arrependeu, pois o atacante fez dois gols, assumiu o topo da artilharia brasileira na competição e foi fundamental na classificação. “Principalmente nesta posição é muito importante que para sua autoconfiança eles marquem gols.

Centroavante é um cidadão que pode jogar bem, dar assistência, mas se não fizer gol não sai satisfeito. Nós precisamos dos gols dele, assim como os do Pato, e tenho certeza que Pato também vai ajudar muito. Estou muito contente com o comprometimento deles, com o entendimento do que é ser um grupo. É sempre mais compreensível estar entre os 11, tem comportamento mais alegre, mas todos sabem que para ganharmos os jogos temos que ter o melhor grupo.”

A seleção brasileira viaja neste domingo para Manchester, onde enfrentará a Coreia do Sul, na próxima terça-feira, às 15h45 de Brasília.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também