Sábado, 24 de Fevereiro de 2018

GREVE

Nelsinho diz que vai recorrer à Justiça contra agentes de saúde

5 JAN 2011Por VIVIANNE NUNES E FAUSTO BRITES09h:41

O prefeito de Campo Grande, Nelson Trad Filho vai recorrer à Justiça contra os agentes de saúde em greve na Capital. A informação foi repassada há pouco durante entrega da segunda etapa do residencial Ramez Tebet, no bairro Universitário. Trad diz que se sentiu “apunhalado” pela categoria pois as negociações estavam sendo iniciadas, “até porque, a data base seria em maio”, ressaltou.

Na ocasião, ele reiterou que vai cortar o ponto do servidor que aderir ao movimento de greve e verá a possibilidade de, com base na Justiça, demitir os grevistas que, segundo ele, estão sendo levados a fazer estas ações por lideranças “agitadoras”.

Mesmo diante da decisão do prefeito de Campo Grande, Nelson Trad Filho em cortar o ponto dos agentes de saúde que aderirem a paralisação deflagrada ontem pela categoria, cerca de 40% dos deles continuam em greve e estão concentrados no bairro Estrela do Sul. A informação é da secretária adjunta de Saúde do município, Ana Lúcia Lyrio de Oliveira e segundo ela, o quadro possui 800 agentes dos quais, 200 estão parados. Uma redistribuição foi feita para garantir que as áreas não fiquem descobertas, principalmente nesta época do ano em que a cidade enfrenta um dos piores momentos com relação a doenças como a dengue e a leishmaniose.

A partir do dia 17 de janeiro, po exército irá dispor de 120 homens que irão somar esforços junto ao trabalho dos agentes para garantir o reforço na fiscalização e orientação da comunidade no combate aos mosquitos causadores da dengue e da leishmaniose. O acordo já tinha sido feito antes da paralisação visando o aumento de demanda em época de chuva intensa.

Apenas no ano passado, 41.663 casos de dengue foram notificados na Capital, dos quais 22 pessoas morreram vítimas da doença.

“Este é o pior momento para uma greve. É impossível compactuar”, reclamou a secretária adjunta.

Leia Também