Nelsinho admite chefiar campanha de Dilma

Nelsinho admite chefiar campanha de Dilma
29/01/2010 09:30 - MARIA MATHEUS


O prefeito Nelsinho Trad (PMDB) admitiu a possibilidade de aceitar eventual convite do ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, para coordenar comitê suprapartidário de apoio à campanha da ministra Dilma Rousseff (PT) à Presidência da República. Para o prefeito, a decisão de encabeçar o comitê de prefeitos da Região Centro- Oeste depende da oficialização de aliança do PT com o PMDB em nível nacional. “Lógico (que posso aceitar o convite). Dependendo da forma que nosso partido se posicionar – tudo vai depender disso – a gente pode avaliar essa questão com muita honra”, disse Nelsinho. “Essas questões serão decididas depois que forem definidas as alianças partidárias”, enfatizou. O prefeito avalia que “muito provavelmente” o PMDB vai fechar com o PT em nível nacional. “E se isso acontecer, é uma possibilidade a ser analisada. Até porque já militamos na frente nacional de prefeitos como presidente da região Centro-Oeste”, observou. Ontem, por telefone, Nelsinho disse à ministra Dilma Rousseff que está convicto de sua decisão de apoiá-la nas eleições de outubro. “Ela agradeceu o apoio e eu disse a ela que estou convicto da minha posição, não por nenhuma moeda de troca pelas coisas que estão vindo a Campo Grande, mas por acreditar na administração que o Governo Lula está fazendo. Acho que tem que ser dado sequência”, opinou. Conforme Nelsinho, a ministra comentou que acompanha de perto as questões políticas em todo o País e se sentiu “honrada” com a declaração de apoio. “Ela também disse que o presidente Lula está sabendo da minha decisão, ficou muito feliz e me mandou um abraço”, contou o prefeito. Esperança Dilma ainda tem esperança de contar com dois palanques em Mato Grosso do Sul. Apesar de o governador André Puccinelli (PMDB) condicionar o apoio para a petista à desistência do ex-governador José Orcírio dos Santos (PT) de concorrer ao Governo do Estado, a ministra ainda não colocou um ponto final na discussão. A cúpula nacional do PT tem como certo que o partido terá candidatura própria ao Governo de Mato Grosso do Sul. Mas, ainda assim, espera contar com o apoio de Puccinelli a Dilma. Ontem, o deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT) participou de reunião da cúpula do PDT com Dilma. No encontro, realizado na casa da ministra, lideranças do PDT declararam o compromisso de apoiá-la à Presidência da República. Foi Dagoberto quem intermediou o telefonema entre Nelsinho e Dilma. A ministra conversou rapidamente com o deputado sobre o cenário político no Estado. “Vamos lutar, vamos ver se consigo dois palanques”, teria comentado Dilma ao se referir a Mato Grosso do Sul. “Ela demonstrou ter ficado muito grata com a posição de Nelsinho e, na hora, ligou para ele”, disse Dagoberto. O deputado informou ainda que, antes do Carnaval, representantes da Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul) terão encontro com a ministra para convidá-la a participar da abertura da 72ª Expogrande, que acontece em março.
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".