domingo, 22 de julho de 2018

Nei Braga tinha esperança de 2º turno, mas não divulgou apoio

4 OUT 2010Por karine cortez01h:45



O candidato ao Governo do Estado Nei Braga (PSOL), votou ontem por volta das 10h apostando num segundo turno em Mato Grosso do Sul. Ele esteve na Escola Municipal Elpídio Reis, no Conjunto Habitacional Mata do Jacinto, 36ª Zona Eleitoral, região da saída para Cuiabá, em Campo Grande, mas não soube dizer quem apoiaria numa eventual segunda etapa da disputa. “Eu tenho uma lanchonete na Rua 13 de Maio, onde vendo chipa e pão. Depois dessa eleição vou estar lá e quem quiser que vá falar comigo, estarei esperando!”, disse.
Questionado sobre o que estará esperando, o candidato destacou que o seu apoio será oferecido àquele cujas propostas contemplem áreas como a segurança pública, combate à corrupção e investimentos na educação.

Irônico
No momento em que chegou à Escola Elpídio Reis, Nei Braga ironizou, dizendo, “sou corintiano, mas não estou sentado no colo do André”. Ao explicar a sua declaração, revelou que teria ouvido comentários de que estaria “fechado” com o também candidato ao Governo André Puccinelli (PMDB). “Falaram que eu recebi R$ 700 mil, uma caminhonete, um apartamento e um cargo no Governo. Quero saber onde estão essas coisas, pois eu não vi nada disso”, afirmou, completando que se estivesse aliado a Puccinelli não teria feito, durante os debates de campanha, perguntas que outros candidatos não tiveram coragem de fazer.
Ao concluir o voto, o candidato do PSOL fez questão de dizer que tirou uma lição da campanha ao saber quem são seus verdadeiros amigos.

Leia Também