CAMPO GRANDE

Nas feiras dos bairros, economia e lazer estão mais perto de casa

Nas feiras dos bairros, economia e lazer estão mais perto de casa
10/08/2012 00:00 - MILENA CRESTANI


 

Todas as semanas, às terças e às quintas-feiras, a Avenida Marinhano Bairro Coophavila II, em Campo Grande, transforma-se. No lugar dos carros, dezenas de barracas são montadas ao longo da principal via do bairro. É assim em diferentes regiões de Campo Grande, onde os moradores podem encontrar produtos diversificados e de qualidade perto de casa. Em toda a cidade, são mais de 58 feiras, que também proporcionam economia aos consumidores em diversos produtos.

Tradicionais em Campo Grande, as feiras oferecem de tudo: roupas, acessórios, brinquedos, doces caseiros, queijos, além de uma infinidade de frutas, verduras e legumes, todos frescos. Também é um espaço de lazer, pois as famílias aproveitam as compras para fazer um lanchinho. São pastéis, salgados em geral, espetinhos, acompanhados de arroz, mandioca e vinagrete, entre outros.

A avenida muda de cara, de som, com as vozes dos feirantes chamando os clientes e oferecendo os produtos, e de cheiro, com os pastéis e coxinhas fritos na hora ou os espetinhos de carne e linguiça assados em churrasqueira montada ao lado de mesas postas na calçada.

Leia mais no jornal Correio do Estado

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".