Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

TRÁFICO CONSORCIADO

Narcotraficantes dividem riscos e lucros na compra de cocaína

14 MAR 11 - 00h:02Thiago Andrade

A polícia acredita que as grandes apreensões de cocaína registradas neste ano, especialmente no Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, sejam fruto de um pesado investimento de traficantes consorciados, que se juntaram para grandes aquisições de entorpecente, numa tentativa de redução dos custos e riscos da operação. Há indícios de que o avião que caiu com um expressivo carregamento de droga, há nove dias, na Serra do Amolar, próximo à fronteira com a Bolívia, ainda no Mato Grosso do Sul, estivesse à serviço de grupo consorciado.

O delegado da Polícia Federal Éder Rosa de Magalhães, da Delegacia de Combate ao Crime Organizado de Cuiabá, acredita nessa associação criminosa. Segundo ele, apesar de não haver informações específicas que permitam essa conclusão, o volume transportado (580,9 quilos - e não 565 quilos como anteriormente divulgado) é um forte indicativo de que a droga pertencia a vários compradores.

 

Leia mais na edição de hoje do Correio do Estado

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

BRASIL

Projeto de privatização da Eletrobras chega ao Congresso em novembro

ECONOMIA

Índice de Confiança do Empresário Industrial fica estável pelo 3º mês

ECONOMIA

Intenção de consumo das famílias cresce pelo terceiro mês

BRASIL

Governo libera orçamento de universidades federais

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião