Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

NOVO CÓDIGO FLORESTAL

'Não sou da bancada agropecuária', diz Rebelo

15 MAR 11 - 15h:02DA REDAÇÃO

O relator do novo Código Florestal, deputado Aldo Rebelo (PCdoB/SP) defendeu ontem (15), na Associação de Criadores de Mato Grosso do Sul (Acrissul), o texto que deverá ir a votação nas próximas semanas na Câmara dos Deputados. O evento teve a presença do presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de MS (Famasul), Eduardo Riedel, e de boa parte da bancada federal de MS e marcou a abertura da Expogrande, que acontece de 14 a 24 de abril.

Em seu pronunciamento, Rebelo destacou que não pertence à bancada ‘ruralista’ e que o texto vai evitar a “punição em massa” dos produtores rurais. “Eu não tenho nenhum interesse pessoal (no Código Florestal). Não sou da bancada agropecuária. Estou nesse relatório pelo Brasil e pelo povo brasileiro. (...) Aqui não tem nenhuma linha que fere o povo brasileiro. Fere sim interesses poderosos”, destacou o relator.

Salientando que o Brasil é o único país do mundo a ter reserva legal, o deputado lembrou que há cerca de duas décadas, na expansão da fronteira agrícola brasileira, o candidato a proprietário de terras recebia um lote com a determinação de desmatamento para que pudesse receber o título de propriedade. “Tudo isso ditado pelo governo. E hoje essas pessoas são criminosas”, enfatizou.

Rebelo destacou que não existe esse grau de ilegalidade em setores como a indústria e comércio e disse que há influência de interesses internacionais evidentes na defesa de modificações no texto. “Este tema está relacionado com nossa soberania jurídica e econômica e nossa capacidade de produzir alimentos”, enfatizou.

Entre os pontos mais polêmicos do texto que deverá ir a votação está a dispensa da reserva legal (área de preservação com percentuais específicos para cada bioma, a partir do mínimo de 20% de cobertura florestal por propriedade) para o produtor que tiver até quatro módulos (unidade de medida de dimensão variável, considerando aspectos como a situação geográfica do imóvel rural e as condições do seu aproveitamento econômico). Pela proposta, a propriedade que tiver mais de quatro módulos poderia reunir áreas de reserva legal com Áreas de Preservação Permanente (APP), ou as áreas de vegetação nativa no entorno de rios e outros recursos hídricos. Atualmente, cada uma dessas modalidades tem critérios específicos e individuais de manutenção.

O presidente da Famasul, Eduardo Riedel, está confiante que a maturidade dos debates vai levar à aprovação do texto de Rebelo. “Temos convicção de que a bancada federal de MS vai votar favorável à aprovação do texto”, destacou. “O texto atende aqueles que legitimamente se preocupam com o meio ambiente. (....) O relatório do Aldo é equilibrado e está maduro”, defendeu o representante da presidenta Dilma Roussef no evento, o líder do governo na Câmara deputado Cândido Vaccarezza (PT/SP).

Durante o evento, foi lançado selo comemorativo em homenagem ao ex-senador e ex-presidente da Acrissul, Lúdio Coelho.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

ECONOMIA

Índice de Confiança do Empresário Industrial fica estável pelo 3º mês

ECONOMIA

Intenção de consumo das famílias cresce pelo terceiro mês

BRASIL

Governo libera orçamento de universidades federais

BRASIL

Bolsonaro sanciona lei com crédito suplementar para ministérios

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião