Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Não deixe a piscina virar criadouro de mosquito

16 ABR 10 - 02h:28
Com o fim do verão, proprietários de piscinas muitas vezes relaxam com o tratamento da água. Mas o não tratamento das piscinas pode transformá-las em criadouros do mosquito da dengue, o Aedes aegypti.

“O abandono do tratamento das piscinas pode resultar no agravamento dos casos de dengue para o verão seguinte, porque impulsionam o crescimento da população de mosquitos”, lembra Martim Penna, da Associação Brasileira da Indústria de Álcalis, Cloro e Derivados – Abiclor. O cloro utilizado na desinfecção da água, além de torná-la própria para banho, impede o desenvolvimento das larvas do mosquito.

Um estudo realizado, a pedido da entidade, pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), da Universidade de São Paulo (USP), com o objetivo de avaliar o efeito do cloro sobre as larvas do mosquito da dengue em águas de piscinas, revelou que o uso de hipoclorito de sódio (derivado do cloro usado no tratamento de piscinas) interfere na metamorfose da larva, impedindo que ela se desenvolva e chegue à fase adulta. De acordo com o estudo, a eficácia do cloro está no fato de o produto atrasar o processo de troca de pele, o que acaba por acarretar indiretamente a morte das larvas. Fonte: Informações da campanha “Piscina limpa”, site www.piscinalimpa.net
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Felpuda

BRASIL

Envolvimento de agentes de saúde pode acelerar diagnóstico de câncer

BRASIL

Tratamento para doenças raras precisa de investimentos em pesquisa

BRASIL

Motorista embriagado invade lanchonete, atropela 4 e mata jovem

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião