Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Nanicos fogem dos grandes partidos na hora de compor chapas proporcionais

31 MAI 10 - 08h:48
Na tentativa de eleger deputados, os partidos nanicos rejeitam participar de coligações em que estejam grandes siglas, ainda que se aliem a elas na disputa pelo Governo do Estado. Isso significa não estar junto de PMDB, PSDB, DEM, PR, PT E PP nas chapas proporcionais - aquelas que concorrem com candidatos a deputado federal e estadual. Em uma aliança com esses partidos, a avaliação dos nanicos é que seus candidatos viram cabos eleitorais dos maiores.

Integrando o rol dos nanicos, o PSB vai escolher seu lado nas eleições deste ano com base na melhor condição para eleição de deputados. Sem projeto de candidatura própria nacional ou estadual, o partido definiu como prioritária, em Mato Grosso do Sul, a eleição de um deputado federal e pelo menos dois a três estaduais.

O PMN, que em 2006 esteve na aliança proporcional ao lado do PMDB, PSDB, DEM e PR, aguarda determinação do comando nacional, mas segundo o presidente regional do partido, Adalto Garcia, o diretório de Mato Grosso do Sul apresentará, na convenção, a proposta de candidatura própria e chapas puras proporcionais. “Agora, se eles entenderem que isso é muito caro, nós vamos ver, baseado na decisão da nacional”. A única definição, até agora, é o apoio ao pré-candidato do PSDB, o ex-governador de São Paulo, José Serra. Segundo Adalto Garcia, o PMN já tem chapa com condições de eleger deputado estadual e federal.

Quem também cogita candidatura própria e chapa pura é o PSDC de Mato Grosso do Sul. Mesmo descartando a possibilidade de o eleitorado preferir nomes novos à Câmara dos Deputados e à Assembleia Legislativa. “O Zeca (Orcírio) nunca teve carinho com o PSDC, e não temos cargos no governo. Não temos outra saída a não ser questionar a necessidade de novas lideranças no Estado”, afirmou o presidente regional do partido, Elizeu Amarilha. “Somos realistas, acho que não (temos chances de eleger deputados), mas dificilmente vamos mudar de posição”, disse.

Para partidos como PSB e PCdoB, mesmo que confirmem alianças - o PCdoB cogita lançar candidatura própria, mas também negocia com Orcírio -, devem optar por coligações com partidos menores na disputa por vagas a Assembleia, ou não terão chances. Na eleição passada, duas coligações formadas por nanicos elegeram deputados estaduais. Professor Rinaldo (PSDB) e Márcio Fernandes (PTdoB), na época integravam, respectivamente, PTdoB e PRTB, e se elegeram pela coligação que ainda tinha PSC, PPS, PAN e PMN. A outra, formada por PSB, PP, PCdoB, PHS, PTN e PRP, elegeu Cel Ivan (PRTB), antes filiado ao PSB. (FB)
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

MUDANÇA

Serviços sociais e conselhos tutelares atendem em novos números

Conselho Centro teve mudança no telefone, demais continuam os mesmos
Campo Grande registra aumento de casos de tuberculose
DOENÇA

Campo Grande registra aumento de casos de tuberculose

Comercial minimiza vantagem <br>sobre o Corumbaense
ESTADUAL

Comercial minimiza vantagem sobre o Corumbaense

Ministro da Saúde participa de entrega de duas UBS em Bandeirantes
MELHORIA

Ministro da Saúde participa de entrega de duas UBS em Bandeirantes

Mais Lidas