Quarta, 21 de Fevereiro de 2018

RECONSTRUÇÃO DA CREDIBILIDADE

Na política, o PT deu tudo a Delcídio: dois mandatos

25 JAN 2011Por adilson trindade00h:00

Além da reconciliação com o ex-governador José Orcírio dos Santos, há entendimento dentro do PT que o senador Delcídio do Amaral vai precisar reconstruir dentro do partido a sua credibilidade política. A postura apartidária adotada nas eleições ficou muito ruim quando apoiou rivais históricos em prejuízos ao PT e seus aliados. "Uma coisa o Delcídio tem de entender: O PT deu tudo o que ele tem na política, que é o mandato de senador", comentou o deputado federal Vander Loubet. O PT foi buscá-lo para os seus quadros depois de ele encontrar as portas fechadas no PFL, no PMDB e PSDB. E quando tentou sair do PT para concorrer ao Governo do Estado nas eleições de 2006 pelo PSDB, Delcídio foi vetado pela senadora Marisa Serrano, a maior estrela do partido em Mato Grosso do Sul.

Rejeitado pelos grandes partidos, o único que escancarou as portas para a sua entrada foi o PT. Delcídio, na época imaginava estar filiado ao PSDB e depois descobriu que a sua ficha não tinha sido encaminhada à Justiça Eleitoral.

Na dura disputa eleitoral com grandes lideranças políticas do Estado, Delcídio saiu da lanterninha com apoio da militância do PT e de amigos para conquistar o Senado, derrotando surpreendentemente o mito da política estadual, ex-governador Pedro Pedrossian. "Hoje, Delcídio despreza a militância e jogou todos os amigos para fora", comentou um petista, que preferiu o anonimato para não atrapalhar o esforço de mais uma tentativa de reaproximação do senador com o ex-governador José Orcírio dos Santos.

Outro problema apontado no senador é se iludir facilmente com os acenos do PMDB e do DEM. O deputado estadual Paulo Duarte é da opinião que o "DEM não vai largar o osso nem a pau". Ele não tem dúvida de que os democratas se unirão ao PMDB em 2012 para derrotarem mais uma vez o PT na disputa pela Prefeitura de Campo Grande. "Depois que o partido (DEM) assume o poder, esquece. Este tipo de acordo: vou agora e depois você vai, não acredito nisto na política", declarou Paulo Duarte. Ele disse ainda ter defendido a candidatura de José Orcírio nas eleições de 2010 "para não deixar o PT acabar no Estado, como pode acabar em Dourados".

Sem alma
Delcídio foi duramente criticado por representantes de algumas correntes petistas, como os deputados Paulo Duarte e Pedro Kemp, por ser um dos principais articuladores da aliança do PT com o DEM, PMDB e PSDB nas eleições em Dourados. "O que a gente nota é que Delcídio tem a carcaça do PT, mas não tem a alma do PT", comentou outro petista, também preferindo não se identificar.

Como o senador Delcídio do Amaral não tem grupo forte dentro do partido, é aconselhado a ter humildade para fazer mea culpa e passar a ter postura partidária. A preocupação do deputado federal Vander Loubet é justamente convencer Delcídio de ser mais partidário nas suas ações políticas. Hoje, o senador faz muito mais para os adversários e isto acaba prejudicando o partido. Para algumas lideranças petistas, se o senador não mudar a postura, corre o sério risco de perder a eleição dentro do PT para viabilizar os seus projetos eleitorais.

Leia Também