Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Na mensagem ao Congresso, Lula destaca PAC e obras sociais

3 FEV 10 - 07h:41
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva utilizou boa parte das 422 páginas de sua oitava e última mensagem destinada à sessão de reabertura do Congresso para tecer elogios a seu próprio governo. Da melhoria da infraestrutura às 13 milhões de famílias que serão atendidas pelo Bolsa-Família em 2010, do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) à política externa, tudo foi citado no documento como parte de um período de sete anos de um governo de prosperidade. De acordo com o documento enviado por Lula, cuja apresentação foi lida ontem na sessão de inauguração deste ano do Congresso pelo deputado Rafael Guerra (PSDB- MG), primeiro secretário da Câmara, a mensagem procurou dar detalhes de tudo o que foi feito pelo governo, a exemplo das providências tomadas “para debelar a crise financeira” que atingiu o País em função da quebradeira de bancos mundo afora. Na i n fraestrutura, segundo a mensagem de Lula, o Brasil ampliou os investimentos nas grandes obras do PAC. “Mesmo com a crise (o governo) aumentou em 58% o valor dos pagamentos em relação ao ano anterior”. Entre as principais obras do PAC, a mensagem do presidente Lula destacou a Ferrovia Transnordestina, as usinas hidrelétricas do Rio Madeira e a obra de transposição das águas do Rio São Francisco para as bacias do Nordeste Setentrional, todas em ritmo de andamento normal, segundo a avaliação do governo.
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

CORREIO DO ESTADO

Confira nosso editorial desta segunda: "Antes tarde do que nunca"

ARTIGO

Natalia Bacaro Coelho: "E quando os filhos abandonam os pais?"

Advogada
OPINIÃO

MAteus Boldrine Abrita: "Deflação: parece legal, mas não é"

Professor e doutor da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

Felpuda

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião