Na Internet, gastos com presentes para os pais vão aumentar 12%

Na Internet, gastos com presentes para os pais vão aumentar 12%
31/07/2010 04:00 -


     

As pessoas que comprarem pela internet para presentear no próximo Dia dos Pais gastarão, em média, R$ 370, segundo estimativa da e-bit (empresa de pesquisa e marketing on-line) divulgada nesta sexta-feira (30).

O valor é cerca de 12% maior ao gasto na mesma data comemorativa no ano passado, quando o tíquete médio ficou em R$ 330.

Com o consumidor gastando mais, a expectativa é de que o varejo movimente R$ 590 milhões na data comemorativa, o que representa um crescimento de 35% em relação a 2009, quando o faturamento foi de R$ 437 milhões.

Mais procurados

Ainda de acordo com a e-bit, o grande volume de produtos com alto valor agregado nos carrinhos dos e-consumidores será um dos principais responsáveis pelo melhor desempenho do segmento.

No ranking dos mais vendidos, devem ter destaque os eletrônicos de grande a pequeno porte, como televisores, MP3 players, aparelhos de som e DVD, câmeras digitais, barbeadores, além de artigos de informática e acessórios automotivos.

Neste ano, porém, os consumidores contam com facilidades para fazer aquisições de maior valor. O parcelamento é um exemplo e ele pode chegar a 18 vezes sem juros no varejo on-line, ante apenas seis vezes sem juros no comércio físico.

"Mesmo com o alto consumo no primeiro semestre, gerado principalmente pela Copa do Mundo e outras datas relevantes, o e-consumidor deverá continuar comprando pela internet. Aproveitar boas ofertas e promoções realizadas pelas lojas é um método eficaz de se fazer um bom negócio neste Dia dos Pais", diz o diretor de Marketing e Produtos da e-bit, Alexandre Umberti.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".