Sexta, 23 de Fevereiro de 2018

trânsito

Na Capital, 1,7 mil eleitores de outros estados puderam votar

1 NOV 2010Por anahi zurutuza03h:54

Eleitores de fora do Estado ou que moram em Campo Grande, mas ainda não transferiram o título de eleitor, fizeram questão de contribuir para a escolha do próximo presidente do Brasil. Para o segundo turno das eleições 2010, cuja votação aconteceu ontem, estavam cadastradas 1.770 pessoas para votar em trânsito na Capital. Foram instaladas três seções eleitorais especiais na sede da Missão Salesiana, em frente do Rádio Clube, e, até as 12h de ontem, a votação transcorria com tranquilidade.

Para o aposentado Airton Mesquita, 62 anos, deixar de votar para presidente é deixar de fazer escolhas para o próprio futuro. Ele é de Passo Fundo (RS) e veio a Campo Grande visitar a neta. Como já tinha a viagem programada há alguns meses, conta que não se esqueceu de fazer o cadastro para votar em trânsito. "Enquanto eu tiver saúde física e mental vou continuar votando".

A universitária Nilva Alves Enequio, 44 anos, é de Nova Alvorada do Sul, mas mudou-se para Campo Grande há dois meses. Ela conta que não teve tempo de transferir o título. "Mesmo sem estar na minha cidade faço questão de votar. A escolha do presidente é a mais importante. Não pude votar para governador nem para os outros cargos, mas, para presidente, não poderia deixar de vir".

No primeiro turno das Eleições 2010, 1.847 pessoas que vivem em outros estados haviam feito o cadastro para poder votar em Campo Grande. Para atender aos eleitores de fora de Mato Grosso do Sul, este ano, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE/MS) criou três seções eleitorais especiais (288, 289, 290).

Leia Também