Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

POLÍTICA

Música é um canal importante

Música é um canal importante
26/03/2010 05:32 -


Os católicos não ficam de fora da união expressão artística/fé. Assim como no caso dos evangélicos, a música tem sido um canal para chamar a atenção daqueles que estavam distantes da prática religiosa ou mesmo motivando os fiéis a se dedicarem mais à rotina da igreja. “Observo que isso tem acontecido. Veja o caso do padre Jonas, da Canção Nova, que tem feito um trabalho muito importante em torno da música, tornando-se chamariz para muitas pessoas”, destaca o padre Osmar Augusto Bezutte, assessor para liturgia da Arquidiocese de Campo Grande. Ele destaca que, recentemente, os cantores e grupos católicos ganharam espaço antes ocupado em maior número pelos evangélicos. Atualmente, aponta que a nova geração musical católica consegue, ainda, incluir músicas nas missas, fato que gera certo desconforto, já que existe repertório próprio para o ritual litúrgico. Por outro lado, é o tipo de canção que chama a atenção de público amplo. O padre ainda aponta a desvantagem da Igreja Católica em relação à música quando comparada com as evangélicas. “A católica, ao longo dos anos, descuidou-se muito da parte musical. Antigamente, por exemplo, havia órgãos nas igrejas; hoje, isso quase não acontece mais. Sem contar que poucos sabem ler partitura musical, enquanto nas evangélicas é maior o conhecimento nessa área”. Por parte dos evangélicos, quase todas as manifestações artísticas são defendidas. “Até as igrejas que não valorizavam a dança estão fazendo isso agora. Todas as formas de arte são maneiras de louvar e mostrar a fé”, enfatiza Ronaldo Batista. (OR)

Felpuda


Considerados “traíras” por terem abandonado o barco diante dos indícios da chegada da borrasca à antiga liderança, alguns pré-candidatos terão de se esforçar para escapar da, digamos assim, vingança, velha conhecida da dita figurinha. Dizem por aí que há promessas nesse sentido, para que os resultados dos “vira-casacas” nas urnas sejam pífios. Sabe aquela velha máxima: “Pisa. Mas, quando eu levantar, corre!” Pois é...