Sábado, 24 de Fevereiro de 2018

interior

Murilo Zauith assume prefeitura de Dourados em situação inédita

21 FEV 2011Por fábio dorta, de dourados09h:30

Murilo Zauith (DEM) assume a prefeitura de Dourados nesta quarta-feira, dia 23, em uma situação inédita. Jamais na história política do segundo maior município de Mato Grosso do Sul um prefeito renunciou ao cargo ou teve o mandato cassado pela Justiça ou pela Câmara Municipal. Ari Artuzi (sem partido) também foi o primeiro prefeito a ir para a cadeia.

A última grande crise política no município ocorreu entre os anos de 1999 e 2000. O então prefeito Braz Melo, hoje presidente municipal do PRB, teve contra si a abertura de uma Comissão Processante na Câmara Municipal, sob a acusação de desvios de recursos em sua administração nas áreas de obras e saúde, mas escapou da cassação.

A situação de hoje entristece os moradores mais antigos, que nasceram em Dourados e pertencem a famílias de pioneiros. É o caso do professor universitário aposentado Sultan Rasslan, 70 anos. Ele foi vereador e deputado estadual entre 1977 e 1983. “O que aconteceu em Dourados foi uma coisa horrorosa”, afirmou.

Para Sultan a população entendeu o momento da mudança. Ele disse que confia em Murilo. “Graças a Deus nos livramos dessa canalhada”, acrescentou. “E agora estamos nas mãos de um homem sério, honesto, educado e de conduta ilibada. Fico feliz porque sempre defendi pessoas com honra e credibilidade na política.

Filha de pioneiros, Sirene Pedroso de Camargo, 71 anos, nasceu em Dourados no distrito de Itahum, disse que a situação é muito complicada. “Nossa cidade ficou aparecendo na televisão pra todo o Brasil de uma forma negativa. A gente se entristece com tudo que aconteceu”, disse a aposentada.

Política mudou

O ex-prefeito José Elias Moreira afirma que um dos aspectos que levaram à crise que se abateu em Dourados foi a perda de força política do município ao longo dos. Ele foi prefeito de 1977 a 1982 (na época o mandato era de seis anos) e deputado federal por dois mandatos. “Dourados era um centro de conversão da política estadual quando eu fui prefeito, mas hoje isso mudou”, afirmou.

José Elias lembra que a disputa política sempre existiu, mas era polarizada sempre entre dois, no máximo três grupos, que eram adversários ferrenhos, mas que se respeitavam. “Nos últimos tempos isso mudou e nosso município perdeu a força política que tinha. Infelizmente”, acrescentou.
 

Leia Também