terça, 14 de agosto de 2018

TRÊS LAGOAS

Município registra 231 notificações de dengue neste ano

7 ABR 2011Por da redação15h:09

O secretário de Saúde do município de Três Lagoas, Sérgio Jeremias, alertou que as atuais condições climáticas são favoráveis à proliferação do mosquito transmissor da dengue. “A população de Três Lagoas precisa estar ciente e alerta de que o ambiente quente e úmido é propício à rápida proliferação do mosquito”, alertou o secretário de Saúde.
Na ocasião, a diretora do Departamento de Vigilância em Saúde, Angelina Zuque, expôs quadro da evolução dos números da dengue no município de Três Lagoas, até 26 de março deste ano. Até essa data, a Secretaria Municipal de Saúde, conforme já divulgou, através dos boletins epidemiológicos, havia registrado 231 notificações de casos suspeitos de dengue. Desse total, feitos os exames laboratoriais, 114 deles foram descartados e 24 foram confirmados. Restam ainda os resultados de 93 casos suspeitos da doença.
Neste mesmo período, em todo o estado de Mato Grosso do Sul, o número de notificações de casos suspeitos de dengue chega a mais de 7,1 mil. Desse total, uma pessoa veio a óbito, em Aquidauana, com suspeitas de dengue. A causa da morte ainda está sendo investigada. Houve também o registro de outro caso de morte, em Campo Grande, mas já foi considerado descartado, concluídos os exames laboratoriais.
“Pelos números de casos notificados, Três Lagoas ainda é avaliada como situação de alto risco, no controle da doença”, observou Angelina Zuque.
Ela voltou a ressaltar que “ninguém consegue controlar os avanços da dengue sozinho. Precisamos da participação de todos nessa luta, que não pode parar”, observou.
Conforme os dados numéricos apresentados, “ainda estamos bem neste momento, mas os cuidados deverão ser redobrados de ora em diante, devido às condições climáticas, já observadas pelo secretário de Saúde”, alertou a diretora de Vigilância em Saúde.
O quadro da dengue, conforme casos notificados por bairro, está se apresentando da seguinte forma: Vila Piloto (22), São Carlos (16), Alvorada (15), Vila Nova (14), Nossa Senhora Aparecida (11), Paranapungá (11), Santa Terezinha (10), Vila Haro (7), Santa Rita (6), Santa Luzia (6), Vila Alegre (6) e o total de casos em outros bairros (107).

AÇÕES

O secretário de Saúde ressaltou a importância da participação responsável da população nas ações de combate à dengue.  Segundo ele a prefeitura tem conseguido reduzir os índices com ações como Operação Cidade Limpa e à atuação domiciliar dos agentes comunitários e agentes de controle de endemias, tem conseguido reduzir ao índices de infestação da dengue.
“Estamos desenvolvendo ações positivas de enfrentamento à proliferação do mosquito. À medida em que conseguimos reduzir e até acabar com essas condições favoráveis ao mosquito, o resultado, conforme vem sendo comprovado, é a diminuição de casos de dengue”, explicou Angelina Zuque. Ela se referiu aos bairros Jardim Maristela, Vila Verde, Vila Haro e parte do Santa Terezinha, onde já foi concluída, com sucesso, a Operação Cidade Limpa.
“Voltamos a dizer que é necessária a responsabilidade compartilhada para reduzirmos os índices de infestação da dengue”, observou. Apesar da população “estar mais consciente quanto às medidas preventivas de combate ao mosquito”, o número de casos continua preocupante, conforme alertou a diretora do Departamento de Vigilância em Saúde.
Para o médico Sérgio Jeremias, as ações que o Município vem desenvolvendo, através da Secretaria de Saúde, não podem ser consideradas suficientes. “Tem que haver a participação continuada e responsável de toda a população”, disse. Ele sugeriu que, se crie o hábito, entre a população “de dedicar, ao menos, 10 minutos por dia, para avaliar, fiscalizar e cuidar de sua propriedade”, recomendou.
“A cultura dos bons hábitos de higiene pessoal e também ambiental é essencial para a saúde e melhoria da qualidade de vida da população”, ressaltou o secretário de Saúde.

Leia Também