quinta, 19 de julho de 2018

Eleições

Mulheres presas por crime eleitoral já estão em liberdade

5 OUT 2010Por ANAHI ZURUTUZA10h:52

As três mulheres presas pela Polícia Militar (PM), em Campo Grande, no domingo (3), por cometer crimes eleitorais foram liberadas às 18h de ontem, depois de pagar fiança. Até a manhã de ontem, elas ocupavam celas da Superintendência da Polícia Federal (PF), onde foi conduzido inquérito policial. À tarde, as suspeitas foram transferidas para o Estabelecimento Penal Femino de Regime Semiaberto da Capital e, logo depois, ganharam a liberdade.

No domingo pela manhã, duas fiscais da coligação "Amor, Trabalho e Fé" foram flagradas por delegadas da coligação adversária — "A Força do Povo" — com R$ 3 mil (em espécie) que serviria para o pagamento de eleitores. O caso aconteceu na Escola Municipal Vanderlei Rosa, no Bairro Novo Maranhão. Segundo a PF, fiscais da coligação "A Força do Povo" desconfiaram de duas mulheres que trabalhavam para a chapa do governador André Puccinelli (PMDB) e pediram para que elas abrissem uma caixa que carregavam nas mãos. As fiscais da "Amor, Trabalho e Fé" recusaram-se a mostrar o conteúdo da caixa, houve confusão e a Polícia Militar  foi acionada.

Policias verificaram que na caixa havia envelopes contendo R$ 70 (cada) e material de divulgação da coligação "Amor, Trabalho e Fé". A PM deu voz de prisão às mulheres que foram encaminhadas à Polícia Federal para prestar esclarecimentos.

Também no domingo, uma outra mulher foi presa por transportar uma índia do Bairro Tarsila do Amaral, na saída para Cuiabá, para votar na Aldeia Urbana Marçal de Souza. Ela trabalhava para um candidato a deputado estadual.

Os inquéritos policiais dos dois casos foram encaminhados à Justiça Eleitoral, que ontem fixou a fiança, cujo valor não foi informado, para que as mulheres respondessem às acusações em liberdade.

 

  

 

 

 

 

Leia Também