'EXPERIÊNCIA'

Mulher para de usar shampoo e diz que cabelos estão mais saudáveis

Mulher para de usar shampoo e diz que cabelos estão mais saudáveis
17/01/2014 18:10 - Jornal Ciência


Uma mulher descreveu os resultados que ocorreram ao não lavar seus cabelos com shampoo.

Jacquelyn Baers diz que parou de usar shampoo por medo sobre os mitos e verdades em relação a muitos produtos químicos usados na composição.

Nas fotos, não é perceptível a oleosidade que se esperava de um cabelo não tratado há mais de 5 anos. Ela iniciou sua “experiência particular” e contou o dia a dia de sua rotina em um blog intitulado Little Owl Crunchy Mama.

Ela disse ao Huffington Post que sua jornada, inicialmente, não era abandonar o shampoo completamente. Ela preferiu comprar cosméticos e shampoos orgânicos, mas percebeu que os valores eram extremamente altos comparados com os produtos comuns.

Então, desmotivada pelos valores exorbitantes, Baers decidiu fazer uma mistureba de vinagre de maçã e fermento em pó e começou a usar em seus cabelos: "Não gostei daquilo. Meu cabelo ficou seco e gorduroso", disse ela sobre a receita caseira.

Nesse momento, Baers decidiu abandonar qualquer coisa para limpar os cabelos. Desde então ela está há 5 anos sem usar shampoo e se afastou completamente de qualquer coisa para limpar os cabelos há 3 anos.

Seu marido, motivado por suas afirmações, também abandonou o uso de shampoo.

Ela afirmou que agora se sente livre, que seu cabelo está crescendo em uma velocidade muito maior e tem mais movimento: “Shampoo ainda é uma parte de nossa estrutura social”, comentou.

"É apenas uma parte da nossa cultura – espumar, enxaguar, repetir o processo. Por isso questionei fazer diferente das normais”, disse em resposta à rotina de muitas pessoas na higienização.

Fonte: DailyMail Foto: Reprodução / DailyMail

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".