Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

RISCO

Mulher morre com H1N1 em Corumbá

Mulher morre com H1N1 em Corumbá
14/03/2014 00:00 - Diário Corumbaense


Entrevista coletiva no Paço Municipal, ontem (13), a Prefeitura de Corumbá confirmou a morte de uma mulher, em janeiro, em decorrência da gripe H1N1. O resultado positivo do exame, feito em São Paulo, foi confirmado às autoridades de Saúde do Município na noite de quarta-feira (12). Participaram da coletiva o prefeito de Corumbá, Paulo Duarte; a secretária de Saúde, Dinaci Ranzi, o médico infectologista, Rivaldo Venâncio; o médico-chefe do CTI do Hospital, Manoel João de Oliveira; o responsável pelo Pronto-Socorro Municipal, médico Rogério Bento e o presidente da Junta Interventora da Santa Casa, Cristiano Xavier, que também é presidente da Associação Médica corumbaense.

As autoridades esclareceram que o primeiro exame feito no Laboratório Central de Mato Grosso do Sul, sediado em Campo Grande, deu "não reagente" para a doença, ou seja negativo. Mas uma biópsia, feita em São Paulo, a pedido da Prefeitura, confirmou a morte por H1N1. Das quatro mortes ocorridas em circunstâncias semelhantes, duas foram totalmente decartadas para a doença e outros dois casos, estão sendo analisados no laboratório do Instituto Adolfo Lutz. 

As autoridades reforçaram que não se trata de um surto de H1N1 na região, mas recomendaram à população que mantenha os cuidados básicos com a higiene pessoal e dentro de casa.

O prefeito Paulo Duarte rechaçou boatos de que a Prefeitura esteja omitindo informações de um possível surto na cidade. "Lamentamos profundamente as mortes e é interesse absoluto da Prefeitura continuar investigando e tudo será devidamente divulgado para a Imprensa e a população. A Prefeitura e os médicos estão trabalhando com transparência, profissionalismo e ética, o que tem faltado a alguns", disse ao ratificar que o Município só soube da confirmação de um caso de H1N1 na noite de quarta-feira. 

Felpuda


Espalhar notícias ruins tornou-se muito mais rápido com o uso da tecnologia, e, além disso, não se trata mais de ações dos adversários. Isso é o que pôde ser visto ultimamente, quando a tchurminha do “aliado” tratou de deixar muita gente informada sobre o que a chamada "grande imprensa” tinha publicado, enviando notícias pelo WhatsApp e postando nas mídias sociais. E assim caminha a humanidade...